PS/Açores garante simplificação e reforço dos apoios às filarmónicas

0
7
DR

A Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores aprovou, por unanimidade, alterações ao Programa Regional de Apoio às Sociedades Recreativas e Filarmónicas da Região Autónoma dos Açores (SOREFIL), propostas pelo PS/Açores em conjunto com o CDS. Acesso mais fácil às candidaturas, reforço das verbas a atribuir e reforço dos apoios para a conservação e reparação de equipamentos, são as algumas das alterações agora introduzidas.

“Estas alterações visam reforçar aquele que é o objetivo da criação e manutenção deste tão importante programa que promove e apoia as filarmónicas na sua efetiva educação de cariz artístico. Estas alterações reforçam a importância e o papel das Filarmónicas ao estabelecer um limite anual de instrumentos a apoiar para conservação, manutenção e reparação; alterar a percentagem a atribuir, passando os apoios a conceder a 50% dos encargos previstos, e a facilitar o acesso das entidades candidatas”, afirmou Mónica Rocha, esta sexta-feira, na apresentação das propostas de alteração.

A deputada do Grupo Parlamentar do PS/Açores enalteceu o papel das 102 Filarmónicas que existem na Região, quer pela sua “função cultural e social”, quer pela sua capacidade de promover o envolvimento dos nossos jovens numa atividade saudável como o é produzir, criar, tocar música” e pela “troca geracional de experiências e objetivos comuns em ambientes que promovam um sentimento de pertença, de grupo, de identidade e representação cultural e regional”, que  “é essencial na construção de uma sociedade e realidade assente numa dinâmica positiva e promissora”.

João Paulo Ávila justificou a importância da iniciativa: “O trabalho que nos levou à apresentação conjunta desta proposta é um trabalho de meses, de auscultação de mais de 70 dirigentes de filarmónicas em todas as nossas ilhas, é um trabalho de diálogo com os seus dirigentes, de muitos maestros e de alguns músicos também. Portanto, é um trabalho responsável que melhorará, a partir do dia da sua publicação, a vida destas instituições, que muito fazem pela nossa cultura e pela nossa Região, não só nos Açores, mas também fora”.

O deputado do Grupo Parlamentar do PS/Açores manifesta-se confiante que “no próximo processo de candidatura do SOREFIL haverá mais filarmónicas a concorrer, a este programa que passa a ter uma majoração do apoio para 50%, a facilitação de todo o processo de candidatura, maior autonomia das filarmónicas na gestão dos apoios que recebem, melhoria no processo de reparação e conservação dos instrumentos, entre outras vantagens”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO