PS/Flores defende urgência na regularização do abastecimento do transporte marítimo de mercadorias à ilha

0
16
blank

O Partido Socialista da ilha das Flores defendeu, esta sexta-feira, a urgência na reposição da normalidade do transporte marítimo de mercadorias para a ilha, alertando para as consequências negativas que estão a resultar da falta de um regular abastecimento às Flores.

Segundo referem, e apesar de o transporte estar assegurado através do navio ‘Karoline’, um navio expressamente alugado para fazer a ligação Ponta Delgada – Flores, “são por demais os atrasos e atropelos que esta operação tem vindo a registar ao longo dos últimos meses”, sendo que da escala que se previa acontecer às quintas-feiras, de forma quinzenal, “a mesma não está a ser cumprida”.

A este propósito, o PS/Flores manifesta o seu desagrado pelo facto de os Florentinos estarem a ser, uma vez mais, deixados para trás, fruto de uma trapalhada nas ligações marítimas de transporte de mercadorias para a ilha que “acaba por afetar não só os empresários e o tecido económico da ilha, mas também a qualidade de vida de quem aqui vive e nos visita”.

“Aliás, situações como a que aconteceu na passada semana, de que com o atraso do navio, parte da carga perecível que seguia a bordo, quando chegou à ilha das Flores já se encontrava totalmente degradada, não pode voltar a acontecer”, defendem os socialistas, para solicitar a rápida intervenção do Governo Regional nesta matéria.

Referindo, nessa medida as consequências que daí advém para o abastecimento do mercado local, sobretudo num período como é este de verão, em que a capacidade do setor do turismo está praticamente esgotada, o PS/Flores alerta para a necessidade de que a situação seja reposta, a fim de minimizar, entre outros aspetos, “as consequências negativas na qualidade do serviço prestado, contribuindo, desta forma, para a imagem e valorização do destino Açores”.

Desta forma, o PS/Flores alerta para o facto de com situações deste género a repetirem-se, contribui para “a escassez de produtos, mas também prejuízos para os empresários locais e para a qualidade de vida dos Florentinos, sendo por isso necessário que se comece a tratar os Florentinos com muito maior respeito.