PS pede esclarecimentos sobre agravamento dos prejuízos da SATA para 90 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2021

0
33
blank

O Grupo Parlamentar do PS questionou esta terça-feira “qual o motivo do agravamento dos prejuízos do Grupo SATA para os 90 milhões de euros, sem os subsídios”, em apenas nove meses de 2021.

Num requerimento assinado pelos deputados Carlos Silva e José Ávila, os socialistas pretendem ver esclarecidos os motivos do agravamento dos resultados, em especial sobre o aumento substancial dos subsídios, dado o seu impacto material nas contas do grupo”, solicitando a discriminação “dos subsídios à exploração registados nas empresas do grupo SATA, em 2020 e 2021, identificando a entidade pagadora, a natureza do subsídio à exploração, a justificação para a sua atribuição e os respetivos documentos comprovativos”.

Os socialistas questionaram também o Executivo, para que este responda “de que forma a Tarifa Açores afetou os prejuízos da SATA” e “qual o valor correspondente à Tarifa Açores, dentro do montante de subsídios à exploração da transportadora aérea Açoriana”.

Outra questão colocada pelos deputados do PS foi se o Plano de Reestruturação do Grupo SATA, apresentado à Comissão Europeia, “contempla estes subsídios à exploração e a própria Tarifa Açores?”.

Os deputados do PS realçaram que “os resultados totais corrigidos do Grupo SATA, contemplando a SATA Air Açores SA, a SATA Internacional – Azores Airlines e a SATA, Gestão de Aeródromos SA são negativos em 90,18 milhões de euros, o que corresponde a um agravamento das contas da companhia aérea Açoriana”.

“Estes números contradizem a anunciada recuperação económica e financeira da SATA e devem de ser minuciosamente explicados pelo Governo Regional não apenas ao PS, mas sobretudo aos Açorianos”, finalizaram os deputados do PS/Açores.