PSD/Açores felicita Bolieiro por “defesa acérrima” da Autonomia perante indiferença da República

    0
    21
    DR
    DR

    O líder parlamentar do PSD/Açores felicitou hoje o Presidente do Governo Regional, José Manuel Bolieiro, pela “defesa acérrima” da Autonomia, num momento marcado pela “indiferença” do Governo da República face às autonomias regionais.

    “O PSD congratula o senhor Presidente do Governo pela defesa acérrima que faz da Autonomia, com o anúncio inovador da realização de um fórum autonómico, o que faz todo o sentido face às circunstâncias em que as autonomias regionais se encontram atualmente”, afirmou Pedro do Nascimento Cabral, após uma comunicação do chefe do Executivo ao Parlamento.

    Segundo o líder da bancada social-democrata, o relacionamento político entre o Estado e as autonomias regionais está atualmente marcado “pela falta de sensibilidade, pela indiferença e pela secundarização a que o Governo da República tem votado a Autonomia”.

    “Mas é precisamente nestes momentos difíceis, em que somos confrontados com indiferença a que a República nos remete, que nós, açorianos, nos reerguemos das cinzas dos vulcões e nos empenhamos na defesa da nossa Autonomia”, disse.

    De acordo com Pedro do Nascimento Cabral, “o povo dos Açores nunca se vergou, nem se deixou abater pelas dificuldades e incompreensões permanentes que as visões centralistas do Terreiro do Paço sempre nos impuseram”.

    “O fórum autonómico anunciado pelo senhor Presidente do Governo é mais uma etapa fundamental, com o objetivo de reivindicar um novo olhar da República e da União Europeia face aos Açores” considerou.

    O líder parlamentar social-democrata saudou ainda o Governo Regional e os partidos com assento parlamentar pela “união” registada em torno da importância de defender a nova Lei do Mar, cuja constitucionalidade foi questionada recentemente por um grupo de deputados da Assembleia da República.

    “A defesa do nosso Mar é também a defesa dos Açores e da sua Autonomia”, afirmou Pedro do Nascimento Cabral.

    O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO