PSD/Açores questiona “salários excessivos” de gestores nomeados por Governo socialista

0
31
DR/PSD
DR/PSD

O deputado do PSD/Açores Joaquim Machado questionou hoje o Governo Regional sobre os “salários excessivos” dos gestores públicos nomeados pelo anterior Executivo socialista.

“Importa esclarecer se existem outras empresas e entidades públicas cujos gestores, nomeados pelo anterior Governo Regional, também aufiram, à semelhança do presidente da Sociedade para o Desenvolvimento Empresarial dos Açores (SDEA), salários excessivos face à atividade desenvolvida”, afirmou Joaquim Machado, em requerimento enviado à Assembleia Legislativa dos Açores.

O parlamentar social-democrata lembrou que, em recente audição parlamentar, o Secretário Regional das Finanças revelou que o presidente do conselho de administração da SDEA, nomeado pelo governo socialista, “aufere um vencimento de 5.750 euros mensais”.

“O vencimento do presidente da SDEA é, nas palavras do senhor Secretário Regional das Finanças, ‘uma remuneração anormalmente alta para a atividade desenvolvida’”, frisou.

O deputado do PSD/Açores sublinhou que o Programa do novo Governo Regional preconiza uma “clara racionalização” do setor público empresarial, através da “redução da sua dimensão ou expressão” e reduzindo o número de gestores públicos.

Nesse sentido, Joaquim Machado solicitou “informação detalhada” sobre os gastos com a remuneração de cada membro dos órgãos sociais da Associação Nonagon, Atlânticoline, Teatro Micaelense, SDEA, Santa Catarina, Azorina, Sinaga, Ilhas de Valor, Associação Açoriana de Formação Turística e Hoteleira e Observatório do Turismo dos Açores.

Recorde-se que o atual Governo Regional pretende extinguir, até ao final do primeiro semestre deste ano, as empresas públicas Azorina, Sinaga e SDEA.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO