PSD alerta para necessidades sociais que vão além dos apoios do governo

0
10
DR

O deputado do PSD/Açores, Jaime Vieira, alertou esta segunda feira para “um conjunto de necessidades sociais e económicas, por via da pandemia do novo Coronavírus e das medidas de contingência impostas, que muitos açorianos já estão a sentir e que vão bem além dos apoios que o governo regional anunciou”, referiu.

 

O social democrata falava na Comissão de Assuntos Sociais, onde questionou a Secretária Regional da Solidariedade Social sobre a matéria, querendo saber “que preparação está a ser feita para enfrentar esses novos focos de pobreza, que já estão a surgir”, avançou.

 

“Há famílias a ser acompanhadas pela ação social, nomeadamente as que recebem o RSI, e essas estarão, de alguma forma, salvaguardadas. Mas veja-se o caso dos pescadores, muitos deles que já nem vão ao mar, pois o prejuízo é certo”, deu como exemplo.

 

“Há açorianos que já têm grandes dificuldades para trazer algum rendimento para casa, não os que passarão à condição de lay-off, mas aqueles que viram o seu trabalho desaparecer, como acontece na construção civil, nos cafés e snack bar, ou nos salões de cabeleireira e estética que estão fechados”, elencou Jaime Vieira.

 

Para o social democrata, é essencial que essas famílias saibam o tempo de resposta, no caso de ela existir, para os seus problemas, pois as carências começas a fazer-se sentir em muitos lares dos Açores”, disse.

 

O deputado quis também saber se os núcleos de ação social, “que já estão no terreno, têm prevista alguma cooperação com as autarquias, nomeadamente com as juntas de freguesia, dada a proximidade às famílias mais necessitadas que isso pode permitir”, adiantou.

 

“Antevendo também que as medidas de contingência se podem estender no tempo, torna-se urgente pensar nestes casos que, como referi, vão para lá do que está estipulado pelos apoios do governo regional”, frisou.

 

Jaime Vieira salientou ainda a necessidade “de nos precaver todas as incertezas que se aproximam, sendo nos vamos apercebemos dos receios com que as pessoas anteveem períodos que serão, certamente, muito difíceis”, concluiu.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO