PSD/Faial vai homenagear Alberto Madruga da Costa

0
11

A Comissão Politica do Partido Social Democrata do Faial vai promover uma homenagem a Alberto Madruga da Costa, um ano após o seu falecimento. 

O primeiro momento desta homenagem, decorre sexta-feira, com uma romagem ao cemitério do Carmo, onde será depositada uma coroa de flores, a que se segue o descerramento de uma fotografia de Madruga da Costa, na sede do partido, “como forma de perpetuar a sua presença entre os militantes de hoje e do futuro daquele que foi o mais importante militante do PSD/Açores”, afirmou Eduardo Pereira, presidente da Comissão do PSD/Faial, na ocasião. 
Esta cerimónia conta com a presença do Presidente do PSD/Açores.
No sábado o partido irá associar-se à família na missa de sufrágio a realizar na igreja da Matriz.
As homenagens culminam no dia 15 de abril de 2016, data de aniversário daquele que foi, Presidente do Governo, com uma sessão pública, que será presidida pela presidente da ALRAA, Ana Luís, e que contará com a presença de João Bosco Mota Amaral e de José Leonardo Silva.
O grupo de trabalho, para esta homenagem instituiu ainda um Prémio literário “Alberto Madruga da Costa”, destinado a incentivar o gosto pela escrita e a reflexão sobre o exercício da cidadania e irá preparar a edição de uma Fotobiografia desta figura pública regional, que segundo revelou o presidente da Comissão de Ilha, “constituirá o fechar com chave de ouro a homenagem àquele nosso militante que honrou e elevou o Faial aos mais altos patamares da Região”.
Eduardo Pereira, esclareceu ainda, que a decisão de criar o grupo de trabalho resultou da reunião da Assembleia de Ilha do PSD, realizada a 16 de janeiro deste ano, na qual, foi também aprovado um voto de pesar pelo falecimento de Madruga da Costa.

Integram o grupo de trabalho o presidente da Comissão Política, Eduardo Pereira, o anterior e atual presidente da Assembleia de Ilha, Carlos Faria e Jorge Costa Pereira, respetivamente, o deputado Luís Garcia, a vice-presidente da Comissão Política Regional, Susete Amaro e Fernando Faria.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO