Psicologia nos açores

0
24
DR

Nota de Abertura – Turismo de  – bem-estar uma mais-valia para os Açores?

São raras as semanas que não são publicadas na imprensa regional notícias absolutamente fantásticas sobre o turismo nos Açores. Notícia após notícia os números ultrapassam-se a si próprios e superam as previsões mais positivas.
Com a chegada do verão, sinónimo de período de férias para a maioria das pessoas, acredito que este movimento continuará a progredir de forma favorável, numa espiral, aparentemente, imparável de sucesso com claros contributos para a economia regional.
Em sequência desta expectativa interrogo-me se teremos capacidade de oferecer um serviço turístico de qualidade, se seremos capazes de conciliar os benefícios económicos do turismo com a preservação do ambiente ou com este pequeno grande luxo que é cada vez mais o silêncio?
Na interceção das áreas do conhecimento da Psicologia com a do Turismo uma alternativa parece emergir: o turismo de bem-estar. Fenómeno caracterizado pela deslocação para fora da residência habitual, com a motivação de beneficiar de atividades ou experiências que promovam a harmonia física, mental e emocional.
Este poderá constituir uma resposta e simultaneamente um contributo para preservar tudo o que de melhor os Açores têm para oferecer. 

M.Luz Melo
(1198Dia Mundial Sem Tabaco

Dia Mundial Sem Tabaco – O Papel da Psicologia na Prevenção e Controlo do Tabagismo

Anualmente, celebra-se a 31 de maio o Dia Mundial Sem Tabaco. Esta efeméride, criada pelos estados membros da Organização Mundial de Saúde (OMS), visa sensibilizar a população para os malefícios do consumo ativo e passivo de tabaco, assim como informar sobre estratégias de proteção e de promoção de uma vida mais saudável sem o mesmo. Em Portugal, foi criado em 2012 e revisto em 2017 o Programa Nacional para a Prevenção e Controlo do Tabagismo (PRPCT), tendo como referência a Convenção Quadro da OMS para o Controlo do Tabaco e a Carta de Ottawa. O PRPCT traça as principais estratégias de intervenção e prevê a sua implementação, monitorização e avaliação. Inserem-se neste âmbito as intervenções na Cessação Tabágica. É sobejamente sabido que o tabaco é a primeira causa evitável de doença, incapacidade e morte prematura nos países desenvolvidos, sendo um fator de risco para 6 das 8 principais causas de morte a nível mundial. Entre os benefícios de deixar de fumar contam-se: o aumento da esperança média de vida; o incremento da qualidade de vida; a diminuição do risco de doença coronária e cérebro-vascular, cancro de pulmão e outros cancros e doença pulmonar obstrutiva crónica; a redução da incidência de sintomas e de infeções respiratórias; uma vida sexual e reprodutiva mais saudável; a melhoria da imagem pessoal; ter mais dinheiro para investir no seu bem-estar. Com o conhecimento atual disseminado acerca dos malefícios do consumo de tabaco e dos benefícios da não exposição ao mesmo, surge uma pergunta iminente: o que leva as pessoas a continuar a fumar? A resposta é ao mesmo tempo simples e complexa. Estamos perante uma dependência física, psicológica e comportamental, na qual intervêm fatores sociais, ambientais, psicológicos e biológicos, que estão inter-relacionados entre si. De facto, estima-se que cerca de 80% dos atuais fumadores gostaria de deixar de fumar e 50% faz tentativas a cada ano. Contudo, apenas 25% das mesmas duram mais de uma semana e, sem ajuda especializada, menos de 3% têm sucesso. Durante o processo, as recaídas são frequentes. O psicólogo tem um papel importantíssimo na abordagem motivacional aos fumadores, baseado na sua formação profissional e evidência científica. É fundamental adequar a abordagem ao estádio motivacional em que cada pessoa se encontra, tendo em conta as suas particularidades individuais e ajudando-a a progredir na preparação para a mudança. Da mesma forma, o psicólogo atua na avaliação e intervenção nas psicopatologias associadas ao tabagismo, as quais podem desempenhar um papel predisponente, precipitante e/ou de manutenção do comportamento aditivo e necessitam, portanto, de um tratamento paralelo individualizado. Sendo a mudança comportamental um dos maiores desafios da abstinência, cabe também ao psicólogo um apoio à planificação e gestão da mesma, tal como a facilitação de estratégias de redução do stresse associado aos sintomas de privação e aos desafios quotidianos para os quais anteriormente o cigarro significava um escape. O psicólogo é ainda o profissional com formação apropriada para o treino do autorreforço e outras estratégias cognitivo-comportamentais. O seu contributo é de especial relevância na prevenção e gestão da recaída, a qual, como referido, faz parte do processo de mudança. Dada a importância destas intervenções para a saúde individual e comunitária, a Unidade de Saúde da Ilha das Flores disponibiliza este acompanhamento através do Serviço de Psicologia Clínica em articulação com a Equipa de Cessação Tabágica, procurando proporcionar as condições para que cada utente atinja um maior nível de bem-estar e qualidade de vida. 

Soraia Mendonça
Psicóloga Clínica na Unidade Saúde Ilha das Flores

Aconteceu – Atividades da DRA

No passado dia 11, a DRA reuniu-se com a Dra. Andreia Cardoso, Secretária Regional da Solidariedade Social. A reunião pretendeu ultimar os pontos a constar no Protocolo entre a OPP-DRA e a Secretaria Regional da Solidariedade Social. A assinatura do documento que afirmará esta parceria decorrerá entre os dias 10 e 11 de julho, no âmbito da visita estatuária do Governo Regional à ilha Graciosa.
No âmbito da campanha “De-pressão: Vamos Agir!”, a DRA reuniu novamente com a Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Pon-ta Delgada, desta feita, com o intu-ito de alargar as sessões “Vamos Falar de Dragões” e “Relatos de (Uma) Adolescência” às escolas do concelho e, por conseguinte, abranger um maior número alunos.
A 18 de maio, a DRA marcou presença na sessão de abertura do Seminário Envelhecimento e Cognição: Desafios e Mitos, reforçando o trabalho da OPP nesta área de atuação. O evento foi promovido pelo Centro Social e Paroquial Nossa Senhora da Oliveira. 

 

A Acontecer – Desafios…

De 12 a 15 de setembro de 2018, a OPP promoverá o 4º Congresso da Ordem dos Psicólogos Portugueses. Este grande marco da Psicologia em Portugal decorrerá na cidade de Braga e promete ser um espaço de reflexão e de partilha de informação entre os profissionais da Psicologia nacional e internacional. As inscrições encontram-se abertas em www.oppcongressso2018.pt.
Por seu turno e, em resposta às necessidades formativas dos psicólogos na RAA, a OPP promoverá o curso Técnicas de Recrutamento e Seleção para Psicólogos, que decorrerá em São Miguel e na Terceira, de 8 de junho a 7 de julho. A começar no segundo semestre de 2018, teremos os cursos: O Papel dos Psicólogos nos Cuidados Paliativos, Violência Doméstica: O Papel da Psicologia, Métodos de Avaliação e Efetividade em Intervenção Psicológica e Curso: Avaliar, Diagnosticar e Intervir. Aproveite e beneficie de 20 e 10% de desconto na compra de três ou dois cursos, respetivamente. 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO