Psicólogos nos Açores

0
14

Nota de Abertura – O Papel da Comunicação Social na Promoção
da Saúde Psicológica

É incontornável o papel relevante da comunicação social na promoção da saúde física, psicológica e/ou em qualquer campanha de saúde pública, seja ela da Prevenção da Depressão, do Suicídio, Prevenção da Violência ou resultante da atual pandemia. A partilha de informação através dos meios tradicionais e atualmente através dos diferentes canais dos media nas redes sociais, assume-se assim como um veículo por excelência de transmissão de informação credível junto do público em geral.
Ciente da importância dos media e da necessidade da sua cooperação para o sucesso do debate em torno de um tema específico de saúde, a Organização Mundial de Saúde disponibiliza em todas as suas campanhas recursos específicos para jornalistas, contribuindo desta forma para divulgar as respostas disponíveis, promover comportamentos protectores e permitir que mais pessoas procurem ajuda.
Enquanto psicólogos sabemos que a comunicação social possibilita mobilizar a participação das pessoas, reforçar o diálogo político e estabelecer uma massa crítica com capacidade para mudar. Com base nestas premissas a Delegação Regional dos Açores desenvolveu parcerias com os principais jornais da RAA. Juntos foi possível trazer a informação psicológica para mais perto das pessoas.

M Luz Melo

Roteiro da Psicologia nos Açores

O balanço de dois mandatos em 4500 caracteres
Com a convocação de eleições da Ordem dos Psicólogos Portugueses para o dia 27 de novembro de 2020 terminamos dois mandatos à frente da Direção da Delegação Regional dos Açores. Um trabalho intenso que teve como missão promover, em cooperação com a Direção Nacional, a valorização da Psicologia nos Açores e o conhecimento do público sobre as diversas áreas de intervenção profissional do psicólogo respeitando as particularidades regionais e as necessidades específicas dos membros com domicílio profissional nos Açores.
Assumindo a responsabilidade de promover o papel do Psicólogo na sociedade e de fazer o esclarecimento sobre as boas práticas que devem proteger todos os consumidores de serviços de Psicologia assumimos como visão ser reconhecida, regionalmente e nacionalmente, como uma entidade de referência no domínio da valorização da Psicologia, promovendo a diversidade de intervenções psicológicas, de forma inovadora, sustentada, mobilizadora dos seus membros na procura de respostas eficazes para o desenvolvimento da Psicologia e da sociedade açoriana. Foi este o nosso foco ao longo dos anos que estivemos à frente dos desígnios da Delegação Regional dos Açores cujo balanço agrupamos nos dois tópicos que se seguem.

Descentralização e articulação com o poder regional e local
A Delegação Regional dos Açores está integrada num espaço geográfico com um estatuto definido pela Constituição da República com autonomia política, administrativa e financeira que lhe aufere poder decisório sobre respostas às necessidades específicas em matéria de interesse para a Região.
Neste contexto particular, o desenvolvimento de relações de proximidade com o Governo Regional (Presidência e diferentes Secretarias Regionais ou de entidades como a Inspeção Regional do Trabalho) e Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores surgiram desde logo como parceiros privilegiados com as quais estabelecemos importantes protocolos e organizamos eventos conjuntos para debater os contributos da Psicologia para o desenvolvimento da Região. A título de exemplo, dois Encontros Regionais de Psicologia da Educação, numa organização conjunta com a Direção Regional da Educação.
Para eles apresentamos pareceres sobre matéria de interesse regional, como foi o caso do Plano Regional de Saúde ou do Programa de Prevenção da Depressão (só para mencionar alguns) tivemos assento em grupos de trabalho criados pelo governo e no Conselho Regional de Saúde. De destacar o importante contributo na elaboração do Decreto Legislativo Regional n.º26/2016/A que Cria a Rede Regional de Cuidados Continua-dos Integrados de Saúde Mental que permitiu a integração dos Psicólogos nas equipas de saúde mental, a sua presença na equipa de coordenação regional, assim como o alargamento do conceito de psiquiatria para o de saúde mental.
De destacar outras acções de divulgação da ciência psicológica em parceira com entidades do poder local, como Câmaras Municipais de diferentes ilhas dos Açores, a Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Ponta Delgada, a Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada ou a Associação de Fotógrafos Amadores dos Açores e, mais recentemente, reuniões com os partidos políticos candidatos às Eleições Regionais dos Açores 2020 para apresentação de propostas da OPP para as políticas regionais.

Valorização da identidade do psicólogo a nível regional/proximidade entre
colegas e oportunidades de formação
As nove ilhas que compõem os Açores apresentam desafios particulares, decorrentes da sua dispersão geográfica, que condicionam a intervenção dos Psicólogos. Conscientes desta realidade fomos uma equipa de Psicólogos de diversas ilhas e de múltiplas áreas profissionais o que nos permitiu dar resposta às solicitações apresentadas e criar oportunidades nos vários domínios de intervenção da Psicologia.
A presença regular e mensal nos principais meios de comunicação da Região teve um impacto incontornável na valorização da identidade do psicólogo, intensificada em tempo de pandemia, com publicações diárias e atualmente com carácter semanal.
Paralelamente, as visitas institucionais às entidades onde trabalham os psicólogos nas diversas ilhas dos Açores contribuíram para a valorização do Psicólogo no seio da sua organização e uma oportunidade para valorizar a Psicologia e o trabalho desenvolvido pela OPP. A realização conjunta das comemorações do Dia Nacional do Psicólogo e as acções de sensibilização desenvolvidas no âmbito da campanha “Depressão. Vamos agir” em todo o arquipélago dos Açores constituírem dois exemplos de como é possível fazer mais quando nos unimos enquanto grupo profissional e nos mobilizamos para uma causa nobre em prol da população dos Açores.
Os dois Congressos Regionais realizados constituíram momentos marcantes na valorização da ciência Psicológica nos Açores, consolidaram a relação com os poderes existentes em diferentes áreas societais, com profissionais de diversas áreas de saber e contribuíram para a aproximação entre os Psicólogos.
No momento de despedida acreditamos que fizemos muito, mas temos consciência que ainda muito está por fazer. Fica a certeza que foram construídos os alicerces e as pontes para a valorização da Psicologia e dos Psicólogos nos Açores.
Bem haja a todos que contribuíram para isto acontecer. Muito obrigada!

Maria da luz melo
Mestre em Comunicação em Saúde
Doutorada em Psicologia Clínica e da Saúde
Especialista em Psicologia Clínica e da Saúde, com especialidade avançada em Psicoterapia e em Psicologia do Trabalho, Social e das Organizações pela Ordem dos Psicólogos Portugueses
Docente e membro da Assembleia de Escola, da Escola Superior de Saúde da Universidade dos Açores
Membro do Conselho Técnico-Científico da Universidade dos Açores
Vogal da 1ª Direção Nacional da Ordem dos Psicólogos Portugueses
Presidente da Delegação Regional dos Açores. 

Aconteceu – Encontro Ano Profissional Júnior

Em outubro, a DRA promoverá, à distância, dois encontros no âmbito do Ano Profissional Júnior. No dia 7, o evento será dirigido aos orientadores e no dia 14 aos juniores. Além da partilha de experiências, as iniciativas, que constarão com a presença da Teresa Espassandim e César Soares, terão como objetivo a auscultação das necessidades sentidas e a apresentação de propostas que possam melhorar o desempenho e o bem-estar subjetivo de todos os intervenientes.

E irá acontecer – Apresentação de Propostas aos Partidos Políticos

No seguimento do trabalho desenvolvido no âmbito dos Trilhos da Psicologia, e com o contributo especial dos Grupos de Trabalho OPP, a DRA apresentou um conjunto de propostas aos Partidos Políti-cos, com o objetivo de otimizar os recursos e contributo dos psicólogos e da psicologia nos Açores, em prol da saúde e bem-estar psicológico do povo açoriano.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO