Rabo de Peixe ‘desespera’ por campo de futebol há mais de quatro anos

0
6

“É com bastante surpresa que vemos Jaime Vieira, que é Presidente da Junta de Freguesia de Rabo de Peixe, vir fazer a defesa da honra do executivo camarário liderado pelo PSD de Alexandre Gaudêncio”, afirmou Ruben Farias, responsável pelo PS em Rabo de Peixe.

Passados quatro anos desde a venda do campo de jogos “Bom Jesus”, por 450 mil euros, a comunidade da Vila de Rabo de Peixe continua a aguardar pacientemente pelo prometido complexo desportivo, mesmo que isso implique deslocar diariamente centenas de jovens atletas para praticaram desporto noutras freguesias.

Mais grave ainda é o facto de Jaime Vieira, e que também é o Presidente do Clube Desportivo de Rabo de Peixe, vir apregoar seriedade e boa gestão do dinheiro público, quando o campo de futebol foi vendido em 2016, por 450 mil euros, e o novo complexo custará mais de dois milhões de euros e só estará concluído em 2021, na melhor das hipóteses.

Para Ruben Farias, de facto, a comunidade de Rabo de Peixe e os seus atletas merecem mais e melhor, pois mesmo perante as adversidades provocavas pelo executivo camarário com o beneplácito de Jaime Vieira, saltando de campo em campo para jogar, conseguiram alcançar a merecida subida de divisão.

“Jaime Vieira está mais interessado em reivindicar o seu lugar na lista de deputados do PSD, do que exigir que a Câmara Municipal da Ribeira Grande trate a comunidade de Rabo de Peixe com a dignidade e o respeito que merece, utilizando os milhões de euros em depósitos para cumprir as promessas feitas, mas que ainda estão por cumprir, desde 2016”, afirmou.

Também é caricato verificar que o PSD da Ribeira Grande considera normal e um ato de “boa gestão” contrair empréstimos em 2017, pagar os respetivos encargos financeiros anualmente, só ter iniciado as obras do campo de futebol de Rabo de Peixe em 2020, três anos depois, e no caso do intercetor de águas residuais apenas irá lançar o concurso no final de 2020.

A verdade é que os cinco milhões de euros em depósitos geraram muito incómodo nas hostes do PSD da Ribeira Grande e nos seus autarcas, mas também revelam falta de planeamento e incapacidade em concretizar obras estruturantes para a Ribeira Grande.

“Ao invés de tentar desviar as atenções com ataques ao PS e ao Governo Regional, talvez fosse mais oportuno a autarquia da Ribeira Grande resolver os problemas que são da sua responsabilidade, como o saneamento básico, a requalificação das vias municipais, a criação de espaços verdes, o tratamento das águas residuais e a questão dos resíduos, o estacionamento, o apoio às famílias e às empresas do concelho, entre muitos outros investimentos prometidos”, afirmou o representante do PS na Ribeira Grande.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO