Reforço à competitividade – Implementados quatro novos programas para apoiar empresas

0
22
DR

DR

O Governo Regional dos Açores implementou quatro novos programas destinados a reforçar a competitividade das empresas.

Para além destes programas o governo pretende ainda implementar também em 2019, novos programas de apoio à contratação por parte das empresas, assim como um programa de formação de trabalhadores no ativo.

Na apresentação da revista ‘As 100 Maiores Empresas dos Açores – 2017’, promovida anualmente pela Açormedia, que decorreu esta semana, em Ponta Delgada, o vice-presidente do Governo destacou a importância para as empresas regionais de quatro novos programas que, associados à criação do ‘Cluster Digital Açores’, são “essenciais no caminho de um maior crescimento económico”.

“Consolidar ainda mais a nossa economia é, para além das medidas existentes, apresentar novas medidas para responder a novos desafios”, disse Sérgio Ávila, avançando que Governo dos Açores vai proceder a uma alteração do sistema de incentivos Competir+ e “criar um reforço do apoio não reembolsável às despesas elegíveis no âmbito da inovação tecnológica, particularmente da desmaterialização de processos e da indústria 4.0”.

Para Sérgio Ávila esta medida visa “reforçar o apoio para as empresas que queiram inovar do ponto de vista tecnológico” e pretendam fortalecer “a sua integração num mundo cada vez mais global, em termos de competitividade”.

Já o segundo programa determinado pelo Governo dos Açores destina-se a incentivar o empreendedorismo desde o final da frequência universitária, a potenciar a aplicação de conhecimento e a criação de novas empresas, sustentadas na investigação.

“Vamos criar o programa StartUp Universitário, que visa criar uma interligação entre os alunos que estão a terminar a formação e os investigadores da Universidade dos Açores”, de forma a que “o conhecimento da investigação possa ser aplicado” e se possam “criar novas empresas em que a investigação seja um elemento fundamental da sua competitividade”, explicou Sérgio Ávila.

“A terceira linha fundamental dos novos desafios é o que chamamos Desafio StartUp”, com o objetivo de “criar condições para que as novas empresas criadas, as ‘startups’, tenham um mercado mais consolidado”, adiantou o governante.

“Um quarto vetor fundamental é, sem dúvida, o novo programa Exportar Açores”, afirmou Sérgio Ávila, considerando que, apesar da “muita valorização” dos produtos açorianos e do crescimento da produção regional, através da Marca Açores, “importa fazer mais e melhor”.

A este respeito o governante adiantou que este programa “permitirá reforçar o apoio a todas as empresas exportadoras” nos chamados fatores de competitividade, “quer seja conhecimento de novos mercados, quer seja na qualificação da sua componente comercial” ou em investimentos para esse efeito.

No entender do titular da pasta da Competitividade Empresarial, se se associar o desenvolvimento de um cluster digital nos Açores a estas quatro novas medidas, estão criadas “as componentes essenciais para que – aperfeiçoando todos os programas já existentes de apoio ao investimento, ao emprego e à criação de novos postos de trabalho – as empresas açorianas possam vencer novos desafios”.

O governante destacou ainda que, também em 2019, vão ser implementados novos programas de apoio à contratação por parte das empresas, assim como um programa de formação de trabalhadores no ativo.