Resultados dos testes PISA nos Açores mostram que “política educativa falhou”

0
10

A deputada do PSD/Açores Maria João Carreiro afirmou hoje que os maus resultados obtidos pela Região nos testes PISA mostram que a política educativa do Governo Regional “falhou”, tendo defendido que é necessária uma “verdadeira mudança de rumo” na Educação.

“Os dados dos testes PISA são preocupantes e, conjugados com os baixos resultados dos exames nacionais, demonstram que a política educativa falhou. Depois de mais de 20 anos de governação socialista, com o anúncio contínuo de planos de combate – combate à pobreza, combate às toxicodependências, combate à violência doméstica –, é óbvio que o combate ao insucesso escolar exige muito mais do que estas políticas educativas. Exige uma verdadeira mudança de rumo”, afirmou a social-democrata.

Maria João Carreiro falava num debate de urgência promovido pelo PSD/Açores sobre os resultados obtidos pela Região nos testes do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA) em 2018, e que revelam que se registou uma descida do desempenho dos alunos em todas as áreas analisadas: Leitura, Ciências e Matemática.

“Os Açores destacam-se pela negativa: são das piores regiões do país, afastando-se cada vez mais da média nacional. Nos testes PISA de 2018, os Açores pioraram em relação a 2015”, frisou.

A deputada social-democrata salientou que “os professores e os alunos não são à partida piores do que os professores e os alunos de todo o país”, alegando que os resultados “não satisfatórios e que regularmente teimam em persistir são o reflexo da não eficácia das políticas governativas”.

“Os indicadores falam por si. Os Açores não logram alcançar o sucesso que o Governo Regional e o Partido Socialista vão artificialmente proclamando. Confrontados com indicadores nacionais e internacionais, os Açores são colocados na cauda do país e da Europa. Enquanto estes indicadores persistirem, não teremos desenvolvimento económico e social na Região, não teremos coesão social”, sublinhou.

A parlamentar do PSD/Açores lembrou ainda que “a situação socioeconómica não só continua a exercer influência no desempenho, como também as ambições de grande parte dos estudantes, em particular dos mais desfavorecidos, são mais baixas do que o esperado”, acrescentando que “um em cada três açorianos vive no limiar da pobreza”.

“Como se pode falar em sucesso do Programa ProSucesso, quando a taxa de abandono precoce de educação e formação nos Açores aumentou face ao ano anterior, em contraciclo com o continente, representando mais do dobro da média nacional?”, questionou.

Para Maria João Carreiro, “são necessárias políticas educativas ambiciosas e adequadas ao desafio que as escolas e os professores enfrentam, com o envolvimento dos pais, das famílias e de toda a sociedade”.

“É preciso investir na Educação, atribuindo às escolas os recursos de que estas necessitam e tanto pedem para concretizar a igualdade de oportunidades. A Escola tem de voltar a ser considerada o elevador social. São necessários mais recursos humanos para apoio individualizado aos alunos que precisam e mais recursos materiais para dar às escolas formas de diversificarem as suas abordagens pedagógicas”, afirmou.

A deputada social-democrata defendeu igualmente “mais formação contínua dos professores, por ser fundamental assegurar a aquisição de competências, aptidões e conhecimentos que lhes permitam responder a uma ampla variedade de situações na sala de aula”.

“É ainda necessário reforçar as parcerias entre a família e a escola, fomentando uma maior participação dos pais na tomada de decisões”, concluiu.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO