Ribeirinha inaugura Centro de Dia

0
3

É inaugurado esta tarde, nos Espalhafatos, freguesia da Ribeirinha, o um Centro de Dia para idosos. Com capacidade para cerca de 30 clientes, é uma iniciativa totalmente privada, que visa retardar ao máximo o grau de dependência dos cidadãos seniores. Em Ano Europeu do Envelhecimento Activo é precisamente isso que esta empresa tem para oferecer. Tribuna das Ilhas foi conhecer o espaço e esteve à conversa com Sandro Jorge, um dos sócios-gerentes.

 

O nome desta empresa, Optimus Senium, significa, em latim, “melhor velhice”. E é isso mesmo que a empresa pretende oferecer: congregar uma série de actividades e serviços com vista a promover o envelhecimento activo dos seus utentes, retardando ao máximo o seu grau de dependência.

Como explicou ao Tribuna Sandro Jorge, um dos quatro sócios, este projecto nasceu de um conjunto de oportunidades. A começar, os responsáveis “identificam-se muito com a problemática do envelhecimento, em virtude da sua experiência profissional”. A juntar a isto, o facto de um dos sócios dispor de um equipamento de restauração desactivado com todas as condições para se transformar num Centro de Dia, num local que permite usufruir da proximidade geográfica das freguesias da zona Norte, precisamente onde se encontram os maiores índices de envelhecimento da ilha. Estavam assim reunidas as condições para avançar com o projecto.

Os clientes podem frequentar o Centro todos os dias ou quando o desejarem, sendo a mensalidade ajustada ao grau de frequência. Quanto à oferta disponibilizada, é muito variada e vai desde a confecção e acompanhamento das refeições até ao transporte dos utentes, passando pelos cuidados de conforto pessoal e auto-imagem, acompanhamento médico, cuidados de enfermagem e fisioterapia, actividades de estimulação, animação sociocultural e apoio psicossocial. “A lógica não é a mera prestação de cuidados básicos mas sim a estimulação dos utentes para prevenir as dependências”, explica Sandro.

Este Centro de Dia quer ser também um complemento para a resposta que as freguesias já oferecem à terceira idade: “as pessoas que têm algum grau de autonomia frequentam os centros de convívio. Se o fazem às terças e quintas-feiras, nos outros dias ficam em casa, sem contacto social. Aqui podem encontrar um complemento a esses centros. Existem também pessoas que, não se identificando com o tipo de respostas que o centro de convívio oferece, preferirão vir aqui a semana toda”, refere Sandro.

O carácter inovador da Optimus Senium não está apenas no facto de ser a primeira empresa privada a prestar este tipo de serviços no Faial. A lógica de funcionamento em si é também inovadora: “pretendemos contrariar a tendência que existe na ilha dos centros de dia estarem ligados aos lares. A nossa ideia é prevenir as dependências, proporcionando um envelhecimento activo. Ora, esses centros funcionam quase como uma sala de espera onde as pessoas estão antes de chegar o momento de irem para o lar. O que nós queremos fazer é o contrário: despoletar autonomias para retardar ao máximo o grau de dependência dos idosos e a consequente entrada no lar”, explica o responsável.

Para garantir a qualidade dos serviços a Optimus Senium estabeleceu algumas parcerias, nomeadamente com a Click – Saúde e Bem-estar e com a Clínica Fátima Pinto.

Leia a reportagem completa na edição impressa do Tribuna ou subscreva a assinatura digital do seu semanário

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO