SATA. Governo dos Açores alcança “solução de futuro” com trabalho “persistente e cuidadoso”

0
44
blank

O líder parlamentar do PSD/Açores afirmou hoje que o trabalho “persistente e cuidadoso” do Governo Regional conduziu à aprovação, pela Comissão Europeia, do plano de reestruturação da SATA, garantindo que fosse alcançada uma “solução de futuro” para a companhia aérea açoriana.

“O Governo dos Açores, com a importante colaboração do conselho de administração da SATA, levou a cabo um trabalho persistente e cuidadoso, tendo em conta a gravidade da situação em que se encontrava a companhia aérea regional. Foi possível alcançar uma solução de futuro que permitirá salvar a empresa da falência socialista”, afirmou João Bruto da Costa.

O líder da bancada social-democrata falava após uma audiência em que o Presidente do Governo prestou esclarecimentos aos partidos com assento parlamentar sobre o plano de reestruturação da SATA.

Segundo João Bruto da Costa, “a reestruturação da SATA era um compromisso político do Presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, que, ainda como candidato nas eleições regionais de 2020, tinha assumido como prioritária a salvação da companhia”.

“Foi este Governo da Coligação PSD/CDS-PP/PPM que assumiu, verdadeiramente, a importância estratégica da SATA para a Região e tudo fez para que a companhia tivesse futuro”, sublinhou.

O presidente do grupo parlamentar destacou também a “garantia” de que não haverá qualquer processo de despedimento coletivo no Grupo SATA.

O líder da bancada social-democrata classificou ainda como “completamente absurdas” as críticas do Partido Socialista à privatização de 51% do capital social da SATA Internacional – Azores Airlines, medida imposta pela Comissão Europeia no plano de reestruturação da empresa.

“Foi o governo do Partido Socialista que, em 2020, pediu a intervenção da Comissão Europeia na SATA. É preciso muito desplante para vir agora criticar uma medida que a Comissão Europeia impôs. Essas críticas do PS são completamente absurdas”, frisou.

João Bruto da Costa acrescentou que a Comissão Europeia “desmentiu o Partido Socialista” relativamente à investigação sobre os aumentos de capital da SATA, dado que “Bruxelas concluiu que as ajudas do anterior governo à empresa foram ilegais”.

“Felizmente, a investigação da Comissão Europeia não teve consequências negativas, nem para a SATA, nem para a Região, graças à ação do atual Governo dos Açores, que assegurou o reembolso de 72 milhões de euros de ajudas ilegais”, concluiu.