Serrão Santos entende por necessário por limites ao “crescimento azul”

0
6

O eurodeputado Ricardo Serrão Santos esteve presente no workshop relativo ao Plano Estratégico de Gestão Ambiental para o Alto Mar do Oceano Atlântico, na cidade da Horta. Durante o colóquio defendeu que previamente à exploração de recursos do mar profundo tem de haver “uma continuada e resiliente aposta no investimento em investigação (…) e simultaneamente (…) uma identificação rigorosa dos limites do crescimento azul que o ecossistema pode suportar”, tendo em quando a Diretiva Quadro – Estratégia Marinha.

Na iniciativa coorganizada pelo Instituto do Mar dos Açores (IMAR), e que contou a presença de cientistas internacionais, juristas de direito jurídico e diversas organizações intergovernamentais, como por exemplo a Autoridade Internacional de Fundos Marinhos, Serrão Santos afirmou que o “crescimento azul” se encontra “integrado na estratégia europeia para o desenvolvimento sustentável, sendo um impulso para o crescimento do emprego”.

Apesar disso, o eurodeputado eleitos pelo PS nas últimas legislativas aponta que esses parâmetros de estratégia tem sido vistos de diferentes ângulos, variando com os interesses que estejam em causa, dando como exemplo o degelo do Ártico, “que alguns consideram um forma de encurtar distâncias e aumentar os lucros facilitando o acesso a recursos vivos e minerais”.

“ As mudanças climáticas vão tornar o petróleo, o gás e os minerais dos fundos marinhos mais facilmente acessíveis mas a utilização destes recursos vai intensificar os problemas do clima”, alertou Serrão Santos.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO