Sessão Solene comemorativa do 177.º aniversário da cidade da Horta

0
19

No passado domingo, dia 4 de Julho, assinalou-se o 177.º aniversário da elevação da vila da Horta a cidade. Na sessão solene comemorativa, que decorreu no Teatro Faialense, o presidente da Câmara Municipal da Horta aproveitou a efeméride para reflectir sobre a situação do concelho. Para João Castro, numa altura em que se começa a abordar o quadro comunitário pós 2013, é importante “criterizar a distribuição de fundos comunitários” pelas autarquias.

“Não é justo nem razoável que continuemos a ter acesso a cerca de metade dos fundos da ilha do Pico, dois terços dos fundos da ilha de São Jorge e valor semelhante à ilha das Flores”, frisou o edil, classificando esta situação de “aberrante”.

Fazendo um balanço dos últimos anos, João Castro frisou o que entende ser a melhoria significativa da infra-estruturação da cidade, no entanto reconheceu que há que continuar a trabalhar para que a Horta continue a assistir ao “ligeiro crescimento populacional” que tem registado nos últimos tempos.

Para o autarca, “o desafio da qualificação e da integração profissional tem de ser reforçado e vencido”, e é necessária uma atenção permanente aos desequilíbrios sociais.

João Castro salientou que o Faial está “na linha da frente” em várias áreas, destacando a náutica internacional, e voltou a referir a sua intenção da autarquia de instituir uma Comissão Municipal para os Assuntos do Mar.

Em relação aos desafios que o Faial tem pela frente, o autarca destacou a necessidade de “concluir a rede pública de oferta educativa”, alargar a oferta social aos mais idosos e gerar novas oportunidades da requalificação dos recursos. A este respeito, deu como exemplos positivos o curso de operador marítimo-turístico e o curso profissional na área da reparação naval. Para o edil, “temos de apostar no emprego e no empreendedorismo”, bem como aumentar e diversificar a produção local no sector primário.

CMH homenageia pessoas e instituições

 Na ocasião a autarquia faialense distinguiu com a Medalha de Bons Serviços Municipais – Categoria Prateada todos os seus funcionários com 20 ou mais anos de serviço. Foram ainda agraciados com a Medalha de Bons Serviços Municipais – Categoria Dourada três funcionários da CMH que já ultrapassaram os 30 anos de serviço.

Este ano, a Medalha de Mérito Municipal, que visa distinguir pessoas ou entidades que contribuíram de forma notória para o engrandecimento do nome do município, foi atribuída ao Peter Café Sport, TAP Portugal, Amaro Teixeira, António Fraga, Carlos Garcia, Carlos Ferreira, Eduardo Caetano de Sousa, Gilberto de Vargas Dutra, Jorge Gonçalves, José Decq Mota, José Emídio Rodrigues da Silva, José Ilídio Fialho, José Jorge Garcia, Luís Arruda, Maria Leonor Decq Mota, Manuel Faria de Castro, Ruben de Oliveira e Rui Silveira. Já a Medalha de Honra municipal, que reconhece entidades colectivas por serviços altamente meritórios prestados ao município, foi atribuída aos Impérios da Coroa da Ribeirinha e de São Pedro da Feteira.

blank

A grande ovação da noite foi para a atribuição da distinção a Manuel de Arriaga, em ano de centenário da República, com a neta do ilustre faialense, Maria Teresa Arriaga, a receber a medalha das mãos do presidente da autarquia.

Leia a reportagem completa na edição impressa do Tribuna das Ilhas de 09.07.2010