“Spindrift 2” esteve na Horta

0
7

No passado domingo atracou no porto da Horta um maxi-trimaran, com 40 metros de comprimento e 23 de largura, o “Spindrift 2”. 

Esta embarcação, rapidamente chamou a atenção dos populares que se dirigiram à marina da Horta para o observar mais de perto.

O trimaran é uma embarcação com três cascos: dois cascos mais finos dos lados com uma disposição elevada que faz com que o barco esteja sempre inclinado para bombordo ou estibordo e um casco central. Devido a estas características estas embarcações atingem velocidades superiores às do catamaran, o que as torna ainda mais fascinantes na prática de regatas.

A paragem no porto da Horta teve como objetivo a troca de um dos lemes, que ficou danificado, na passada sexta-feira, quando a embarcação colidiu com um objeto  a meio da rota entre Newport e La-Trinite-Sur-Mer. 

Para proceder à reparação da embarcação deslocou-se à Horta, uma equipa de engenheiros especialistas que trouxeram um leme para substituição.

Esta embarcação foi construída especificamente para o Troféu Júlio Verne – Volta ao Mundo sem Escalas e esta viagem servirá de qualificação para a regata Rota do Rum, que se realiza no final do ano.

O “Spindrift 2” é recordista da travessia do Atlântico e trouxe cinco tripulantes a bordo. 

O maxi-trimaran partiu ontem da Horta com o skipper Yann Guichard,  em navegação solitária depois de ter sido  adiada a sua partida, por razões de ordem técnica. O veleiro chegou a zarpar do porto da Horta, na tarde de terça-feira, para o exterior da baía da Horta, esteve duas horas em preparativos, mas regressou à Marina.

Ultrapassadasas dificuldades, este iate  rumou a França.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO