Tasquinhas precisam de renovar “look”

0
14

As tasquinhas, que já acompanham as festas da Semana do Mar já há longos anos, garantem sempre os sabores mais regionais e onde é possível provar os habituais petiscos, desde a linguiça e morcela ao ovo cozido.

A tasca  “Pescadores” já há 12 anos que participam com tasquinhas na Semana do Mar, começou por juntar um grupo de amigos que partilhava o mesmo hobbi, a pesca desportiva, e começaram a participar com tasquinhas na semana do mar. Hoje fazem parte do Clube de Pesca Desportiva da Ilha Azul e esta tasquinha ajuda a angariar fundos para o Clube.

Carlos Fernandes, um dos membros do Clube, considera que a evolução ao longo dos anos destinada a estas tasquinhas tem sido muito pouco positiva e é necessário “tentar melhorar o aspeto da Semana do Mar”. 

Quanto ao negócio, Carlos atenta que nestas festas não se sente a crise e que há grande adesão, no entanto refere que ao longo dos anos nota uma descida no consumo de bebidas alcoólicas e conta que isto acontece devido ao aumento dos preço “as empresas que fornecem a Semana do Mar aumentam os preços deliberadamente e nós vemo-nos forçados a aumentar os preços das bebidas”. 

A “TasKilha do Mauro” já participa há 10 anos na Semana do Mar. Mauro Ferreira é o responsável por esta tasquinha e conta que começou por gosto e por achar que se devia investir na terra, tendo em consideração também a parte financeira quer para ele próprio quer para a equipa, uma equipa jovem no qual muitos são estudantes e o dinheiro faz-lhes falta. 

Para Mauro Ferreira o modelo de estruturação da Semana do Mar está ultrapassado e deveriam repensar num novo modelo. Quanto às condições considera que a esplanada tem muitas boas condições mas os quiosques, parte onde tem a cozinha e balcão, tem péssimas condições e “ é visível aos olhos da sociedade” e que “ em cada ano que passa há menos condições e mais obrigações”.

Quanto à parte lúdica, o responsável pela tasquinha, acha que o palco principal deveria “passar para outro sítio onde fosse possível dar continuidade à festa pela noite dentro, porque quem faz as festas são os jovens” e diz que também deveriam apostar num parque de campismo improvisado para trazer mais condições aos jovens.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO