Terceira. PSD propõe um reforço de vagas nos lares de idosos

0
5

O PSD/Terceira propôs hoje um reforço no número de vagas disponibilizadas nas Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas (ERPI’s) locais, de forma “a responder à falta de capacidade do sistema em responder às necessidades e às dificuldades das famílias terceirenses”.

Segundo Rui Espínola, vice-presidente da comissão política de ilha, “havia, em julho de 2019, 74 idosos a aguardar vaga para poderem integrar aquelas estruturas na Terceira, isto apesar da constituição de uma lista de espera única para ERPI’s”, adiantou.

“Somos confrontados diariamente com os lamentos e as frustrações das famílias da nossa ilha, que se sentem impotentes para dar uma resposta adequada aos seus idosos, mesmo quando estão disponíveis para o financiar”, afirmou.

O social democrata refere que “há uma ausência de resposta do sistema, que é por demais evidente, especialmente em algumas das freguesias mais populosas da Terceira. Pelo que é urgente a criação de estruturas para acolhimento de idosos, podendo e devendo ser esse esforço articulado com as juntas de freguesia”, avança.

Segundo Rui Espínola, a solução “também passa pela potenciação e alargamento das estruturas já existentes. E, naturalmente, quando isso não for possível, devem criar-se novas valências que permitam responder adequada e sustentadamente em termos geriátricos aos nossos idosos”.

O vice-presidente da CPI do PSD/Terceira diz ainda que a ilha tem registado, “há vários anos, uma evidente diminuição da população, que se agrava com a enorme dificuldade de rejuvenescimento da mesma, por via da dificuldade de fixação dos nossos jovens. E isso resulta num constante envelhecimento da sua população”.

“Nos dias de hoje, as condições de vida da maioria das famílias e as exigências profissionais dos seus elementos, tornam difícil e até angustiante proporcionar uma resposta integral e adequada, por muito que o desejem, ao cuidado dos seus idosos”, considera Rui Espínola.

“Sobretudo, quando se verificam situações de dependência permanente e cuidados geriátricos avançados”, afirma, defendendo que, “sendo sempre preferível manter o idoso em ambiente familiar, a verdade é que considerando a pluralidade de dimensões e de domínios, as ERPI’s são respostas sociais muito importantes e adequadas, pois proporcionam aos idosos os melhores cuidados, ajudando as famílias nesta tarefa árdua”, concluiu.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO