Todas as ilhas dos Açores ficam abrangidas este ano pela Rede de Clubes de Programação e Robótica, afirma Gui Menezes

0
292
DR

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia afirmou hoje, na Calheta, em São Jorge, que a Rede de Clubes de Programação e Robótica “vai abranger, em breve, todas as ilhas do arquipélago” dos Açores.

Gui Menezes referiu que existem atualmente 28 clubes de robótica em várias escolas da Região, adiantando que, “este ano, mais 10 escolas vão integrar esta rede”, que é dinamizada pela Direção Regional da Ciência e Tecnologia.

O Secretário Regional falava à margem da visita ao Clube de Programação e Robótica da Escola Básica e Secundária da Calheta, no âmbito da visita do Governo dos Açores à ilha de São Jorge.

Gui Menezes salientou que “já existem dois clubes de robótica na ilha de São Jorge” e que “será criado mais um, na Escola Básica Integrada do Topo”, revelando ainda que “uma das próximas escolas açorianas a ter um Clube de Robótica será a Escola Mouzinho da Silveira, na ilha do Corvo”.

“Todas as ilhas dos Açores ficam, assim, cobertas pela Rede de Clubes de Programação e Robótica, que representa um investimento de 241 mil euros”, disse o governante.

Gui Menezes recordou que a Rede de Clubes de Programação e Robótica arrancou em 2018, enquanto projeto-piloto, em seis escolas de várias ilhas, sendo que no ano passado, e considerando o “sucesso” desta iniciativa, “o projeto foi alargado a mais escolas”.

Cada Clube de Robótica conta, em média, com a participação de 15 alunos, o que significa que estão atualmente envolvidos nesta iniciativa mais de quatro centenas de alunos açorianos.

Os Clubes de Robótica surgiram no âmbito do Plano de Ação para a Cultura Científica e Tecnológica dos Açores (PACCTO Açores) e permitem aos alunos das escolas da Região desenvolverem competências nas áreas das STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática).

Segundo o Secretário Regional, esta iniciativa “visa contribuir para a divulgação da cultura científica e tecnológica e do ensino experimental das ciências” nas escolas açorianas.

“O objetivo é possibilitar aos alunos, em contexto de sala de aula e em contextos mais informais, o contacto prático e direto com temáticas científicas e tecnológicas”, frisou Gui Menezes.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO