Turismo deve a partir da sua atividade económica gerar mais emprego, defende Marta

0
11

Na sua intervenção sobre o sector do Turismo, no decorrer dos trabalhos parlamentares desta XI Legislatura, que decorreu no final da passada semana na Horta, Marta Guerreiro, afirmou que “o nosso objetivo último é muito claro, criar condições para que o turismo assuma na atividade económica um maior peso, quer seja pela componente do produto, direto ou indireto, quer pela criação de emprego, procurando que este seja um crescimento consolidado”.

A secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo, defendeu ainda que “com enorme respeito pelo ambiente, base essencial da nossa identidade, uma gestão consciente e sustentável da geração e da utilização da nossa energia, temos condições para construir um futuro onde o turismo assuma um papel cada vez mais preponderante na nossa economia”.

Na intervenção que proferiu na Assembleia Legislativa, no debate do Programa de Governo, a Secretária Regional destacou como objetivo estratégico um reforço “da notoriedade do destino que permita atenuar a sazonalidade e tire partido da diversidade entre ilhas com ofertas de qualidade específicas e diferenciadas”.

Nesta matéria a governante anunciou ainda, com uma postura “de exigência e inconformismo”, apostas fortes na qualificação do destino e na formação dos recursos humanos, assim como na capacidade de oferta de produtos de animação turística de qualidade, recordando que o setor que registou 1,3 milhões de dormidas nos primeiros nove meses deste ano, o que representa um crescimento de 21% face a igual período de 2015.

Tendo como objetivo a evolução qualitativa da oferta do alojamento turístico, nas suas diversas tipologias, e de restauração e similares, no âmbito da revisão do Plano de Ordenamento Turístico da Região Autónoma dos Açores (POTRA), a secretária avançou que “iremos desenvolver um conceito próprio para o Turismo de Natureza, abrangendo estabelecimentos, atividades e serviços de alojamento e animação turística e ambiental, instalados ou desenvolvidos em áreas protegidas”.

Já no que diz respeito aos desafios ambientais, Marta Guerreiro, adiantou que “o mundo enfrenta um momento histórico e decisivo no que respeita ao combate às alterações climáticas”, neste sentido “o desafio com que nos deparamos – também aqui nos Açores – deve ser encarado como uma oportunidade para a reconfiguração tecnológica, assegurando a competitividade e a sustentabilidade em setores críticos, incluindo o mercado emergente das tecnologias verdes, e para equacionar questões fundamentais de segurança alimentar e energética, de salvaguarda de pessoas e bens, e das políticas de utilização dos solos e de mobilidade”, frisou.

No que se refere ainda a este assunto, a governante divulgou ainda que “com este objetivo que está em curso o processo de elaboração do Plano Regional para as Alterações Climáticas (PRAC), que Marta Guerreiro anunciou ficar concluído durante o próximo ano”, uma vez que no seu entender “os Açores apresentam condições naturais que nos podem posicionar como referência na adoção de políticas energéticas sustentáveis”, salientou a governante. 

 

SUBSCREVA A ASSINATURA. Basta preencher o formulário

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScF1d_clSmrQ16Tj0nvB7RJMzSS4JV3xf0WoCWtiykBM8hEKA/viewform

https://www.tribunadasilhas.pt/

https://www.facebook.com/tribunadasilhas

https://twitter.com/tribunadasilhas

http://issuu.com/tribunadasilhas

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO

Por favor escreva o seu comentário!
Por favor coloque o seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!