Valorização da carne dos Açores deve envolver todos os agentes do setor

0
11

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas afirmou, na ilha Terceira, que a valorização da carne de bovino produzida com grande qualidade nos Açores deve envolver todos os agentes do setor, um trabalho que já se iniciou e deve ser intensificado, de modo a gerar cada vez mais rendimento em toda a cadeia de valor.

“Temos todos, da produção à comercialização, que continuar a trabalhar com um objetivo único de promover e de valorizar a carne dos Açores, de modo a conseguirmos vender melhor, aumentar o rendimento de toda a fileira e garantir a sustentabilidade deste setor que apresenta um grande potencial para crescer”, referiu João Ponte.

O titular da pasta da Agricultura, que falava domingo, na Praia da Vitória, à margem de um evento de promoção de carne de bovino maturada da raça Aberdeen-Angus, considerou que esta iniciativa privada, que uniu o empresário Raimundo Soares e o ‘chef’ Vitor Sobral, é um bom exemplo do que pode e deve ser replicado na Região e a nível nacional para ajudar a valorizar a carne dos Açores e conferir-lhe maior notoriedade.

“Devemos cada vez mais posicionar-nos num patamar de qualidade, valorizando e comunicando melhor sobre o nosso modo de produção amigo do ambiente e com preocupações com o bem-estar animal”, frisou João Ponte, alegando que estes objetivos fazem parte os eixos de desenvolvimento da estratégia regional de valorização da carne dos Açores.

João Ponte disse ainda que importa prosseguir o trabalho de desmistificação e sensibilização da opinião pública para o impacto reduzido que a agricultura tem em termos da pegada ecológica e para o tipo de produção de carne amiga do ambiente que se pratica nos Açores, para daí retirar dividendos, desde logo, para os produtores.

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas revelou que cerca de 60% dos bovinos abatidos na rede regional de abate têm como destino a exportação, sobretudo para o mercado continental, o que é importante do ponto de vista económico e que se prende com a qualidade da carne dos Açores e com o facto do mercado nacional produzir menos do que aquilo que consome.

O governante destacou que, apesar de se registar uma redução na produção de carne de bovino nos Açores de 4% nos primeiros oito meses de 2020, em consequência da situação de pandemia, o setor da carne nos últimos meses recuperou no que diz respeito ao consumo, havendo mesmo um crescimento de 5% na exportação.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO