Vasco Cordeiro salienta caso dos Açores na luta contra alterações climáticas em iniciativa do Congresso dos Poderes Locais e Regionais da Europa

0
29
DR
DR

O antigo Presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, participou hoje, na sua qualidade de 1º Vice-Presidente do Comité das Regiões, na iniciativa promovida pelo Congresso dos Poderes Locais e Regionais do Conselho da Europa, World Forum For Democracy – Round Table on “Let’s talk local: cities and citizens in the fight against climate change”, na qual abordou, quer o papel do Comité das Regiões, quer alguns dados sobre o percurso que os Açores têm feito no âmbito da luta contra as alterações climáticas.

“Os Açores representam, em si mesmos, um desafio acrescido na luta contra as alterações climáticas, não só porque, sendo ilhas que se estendem por cerca de 600 km ao longo do Atlântico Norte, estão particularmente sujeitos aos efeitos desse processo, mas, também, porque em algumas das áreas críticas para essa luta, como as políticas de transportes ou de energia, a sua condição de região arquipelágica influencia e condiciona decisivamente a abordagem regional”, referiu Vasco Cordeiro na sua intervenção.

No âmbito do painel “Going Beyond Local – Bringing local expertise to (inter)national level”, Vasco Cordeiro, em resposta às questões colocadas pelos participantes, teve também a oportunidade de salientar o papel dos jovens neste processo. “Os jovens têm já um papel de grande relevância na consciencialização da importância da luta contra as alterações climáticas. Mas é importante que, para além dos alertas para os comportamentos individuais, se empenhem igualmente no juízo que, como cidadãos, podem e devem fazer sobre as políticas e os resultados obtidos nesta matéria. Também aqui, a questão não é com os outros mas sim connosco, quer como indivíduos, quer como cidadãos”, concluiu.

Recorde-se que, em setembro de 2019, o Parlamento dos Açores aprovou, sob proposta do Governo Regional, então presidido por Vasco Cordeiro, o Plano Regional para as Alterações Climáticas que integra o Decreto Legislativo Regional n.º 30/2019/A, de 28 de novembro.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO