Viola “Micaelense” e Viola “Terceirense” em encontro histórico

0
11

As Violas Açorianas de 12 e de 15 cordas terão um encontro muito especial na 10.ª edição do Festival “Violas do Atlântico”. O evento decorrerá online, já na próxima 4ª feira, dia 1 de Julho, e dá especial destaque a estes dois tipos de Violas Açorianas.

Rafael Carvalho, de São Miguel, e Bruno Bettencourt da Ilha Terceira, prepararam uma colaboração musical muito especial onde apresentarão, em conjunto, modas tradicionais de São Miguel e modas tradicionais da Ilha Terceira, demonstrando a versatilidade e riqueza dessas Violas ao tocarem em conjunto “Os Bravos”, o “Balho da Povoação”, um “Pezinho Velho” ou ainda “A Favorita”.

Esta fusão musical, em dueto, é de facto inédita na história das nossas Violas e pretende ser uma ponte para um maior diálogo entre os tocadores de Violas das duas Ilhas. Acima de tudo, a mensagem que se deseja transmitir é que estes instrumentos complementam-se e são mais ricos e mais fortes quando tocam a uma só voz, defendendo a nossa cultura popular pelos sons das nossas raízes.

Estes dois modelos de Violas, de 12 cordas e de 15 cordas, têm sido denominados de modo generalista, por diversos investigadores, como “Viola do tipo Micaelense” (por ter 12 cordas e abertura em forma de 2 corações) e “Viola do tipo Terceirense” (pelas suas 15 cordas e abertura circular). No entanto, a Viola de 12 cordas é um tipo de viola comum a todas as Ilhas do Arquipélago, com maior ou menor expressão de acordo com o contexto cultural de cada Ilha. Por seu lado, a Viola de 15 cordas, é um instrumento cuja origem remonta à Ilha Terceira, mas que é tocada por alguns músicos, também, nas Ilhas Graciosa e de São Jorge.

O objectivo do “Violas do Atlântico” é de promover o diálogo entre os tocadores de Viola de Arame, contribuindo para a valorização e promoção da nossa Viola dentro e fora da Região. Por esse motivo esta 10.ª edição contará com testemunhos de músicos que passaram pelas várias edições como Amadeu Magalhães (Viola Toeira), Chico Lobo (Viola Caipira), José Barros (Viola Braguesa), Pedro Mestre (Viola Campaniça) e Ricardo Fonseca (Viola Beiroa).

Nestas 10 edições tivemos ainda a participação especial de muitos músicos, como Catarina Rangel em 2011 (voz), Lázaro Raposo em 2012 (percussão), Anita Medeiros e Micaela Sousa em 2013 (voz, violão e violino), Ana Paula Andrade em 2015 (Piano), César Carvalho em 2016 (Violão) e ainda a Escola de Violas da Ribeira Quente e a Escola de Violas da Fajã de Baixo em alguns anos do evento. Ao mesmo tempo é de enaltecer a colaboração de todas as entidades que tornaram possível, na última década, a realização anual deste Festival.

O Concerto, produzido pela Associação de Juventude Viola da Terra e com apoio do Governo dos Açores, será transmitido a 1 de Julho, pelas 20:30, em facebook.com/aj.violadaterra.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO