XVIII Congresso Regional do PS/Açores remarcado para fevereiro de 2022

0
17
DR/PS-Açores

A Comissão Regional do Partido Socialista dos Açores, reunida esta sexta-feira por videoconferência, aprovou, por unanimidade, a remarcação do XVIII Congresso Regional do Partido para os dias 18, 19 e 20 de fevereiro, permitindo, desta forma, “que o PS mobilize todas as suas forças, para o combate eleitoral autárquico deste ano”.

Considerando de “fundamentais” as eleições que se aproximam, o Presidente do PS/Açores, Vasco Cordeiro, destacou estar verdadeiramente em causa, neste ato eleitoral, “a vida das pessoas”, sendo dessa forma que, conforme assegura, o PS encara as eleições autárquicas: “a forma como nas nossas comunidades, municípios e freguesias nós podemos ajudar, e temos, no fundo, as soluções concretas e positivas para ajudar a atravessar esta fase que vivemos”.

Em declarações aos órgãos de comunicação social, o líder dos socialistas açorianos confirmou ainda ter transmitido à Comissão Regional que, “independentemente dos resultados das eleições autárquicas, apresentar-me-ei como candidato a Presidente do Partido Socialista”, ressalvando que face à conjuntura que vivemos “temos a consciência que mais importante, até que o PS, é garantirmos boas respostas para as pessoas ao nível dos municípios e das freguesias, é para aí que temos mobilizada toda a nossa força, para esse combate eleitoral autárquico”.

Ainda na ocasião, a Comissão Regional do Partido Socialista analisou e debateu a atual situação da Região, destacando questões que geram preocupação, desde logo, ao nível da situação pandémica, “quer na componente sanitária, quer nos efeitos económicos”, com Vasco Cordeiro a reiterar aquilo que o Partido Socialista faria, se tivesse essa responsabilidade.

“Em primeiro lugar é essencial que se retome a avaliação por cadeias de transmissão e não por transmissão comunitária”, porque, conforme adianta, “permite que as medidas de contenção, mesmo aquelas mais restritivas, possam ser feitas de forma mais individualizada e mais focada”, defendendo ainda que essa avaliação seja pública.

De acordo com o Presidente Socialista, também ao nível da questão relativa à vacinação está hoje demonstrado que “não temos um problema de falta de vacinas”, mas sim, “um problema de falta de competência na organização do processo de vacinação ao mais alto nível, e isso tem que ser mudado o mais rapidamente possível”.

Nesse sentido, Vasco Cordeiro refere que os Açores são das regiões do país que tem uma percentagem de vacinação “mais lenta e mais reduzida”, sendo fundamental a sua administração, “obviamente pela parte sanitária, mas para que mais rapidamente possamos entrar numa fase de recuperação dos efeitos económicos e sociais desta pandemia”.

O Socialista alertou ainda, na ocasião, para o atraso na preparação da retoma do setor do turismo, situação que para o Partido Socialista já deveria ter começado: “Assistimos a uma coisa surpreendente, a Madeira vem buscar turistas aos Açores, mas não se sabe se os Açores estão a promover e a ir buscar turistas à Madeira”, afirmou Vasco Cordeiro, lembrando que, “apesar de não resolver todo o nosso problema, este é um mercado que ajuda a recompor”.

“É necessário que em articulação com os parceiros privados, empresários, com aqueles que conhecem, sabem, e sentem as dificuldades do setor, este processo seja feito o mais rapidamente possível”, defendeu o Presidente do PS/Açores.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO