A operação decapitação

0
28
TI
TI

Já o disse muitas vezes e volto a repetir: o sistema político açoriano não é inteiramente democrático. Não existe alternância democrática e o partido governamental dispõe de mecanismos de controlo social – a nível da gigantesca administração regional, do sector público empresarial regional, dos sistemas de subsidiação dos mais importantes sectores económicos regionais, do domínio da máquina de inspeção e fiscalização regional, da eficácia da gigantesca agência de comunicação e propaganda governamental (o GaCS) e das políticas teleguiadas no âmbito da segurança social – que não existem em qualquer outro espaço político da Europa Ocidental.

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO