Açores são região com mais desigualdades sociais após receber 4 mil e 500 milhões de fundos da UE

0
12
DR

O deputado do PSD/Açores João Bruto da Costa afirmou hoje que o arquipélago é a região do país “com mais desigualdades sociais”, apesar de ter recebido 4 mil e 500 milhões de euros de fundos da União Europeia durante a governação socialista.

“Após 23 anos de socialismo, recebendo 4.500 milhões de euros de fundos europeus, os Açores continuam a ser a região com mais desigualdades sociais e problemas de pobreza de todo o país”, afirmou o social-democrata, na Assembleia Legislativa dos Açores.

O parlamentar, que falava numa interpelação ao Governo Regional sobre desigualdades sociais, salientou que Executivo socialista, perante os números da pobreza no arquipélago, “insiste em anunciar medidas e políticas que, ao longo de 23 anos, não resolveram os maiores problemas sociais dos Açores”.

“Cerca de 36 por cento da população dos Açores vivem em risco de pobreza, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística. Ou seja, mais de um terço dos açorianos vivem em risco de pobreza, o que é mais do dobro da área metropolitana de Lisboa”, disse.

João Bruto da Costa destacou também os dados dos Açores em relação ao Coeficiente de Gini, que mede a desigualdade na distribuição de rendimentos entre as pessoas e que na Região atinge os 37,9 por cento, “o valor mais alto do país”.

“Isto significa que 20 por cento dos mais ricos nos Açores ganham dezenas de vezes mais que 20 por cento dos mais pobres. É uma desigualdade tão grande que impede a mobilidade social dos que menos têm”, frisou.

Para o deputado social-democrata, estes números deveriam “envergonhar” quem governa, mas “o Governo Regional socialista continua fechado numa bolha de sucesso virtual”.

“Mas não era suposto o socialismo combater estes problemas? Não, não é suposto. É suposto, isso sim, o socialismo manter-se no poder à custa desses problemas”, concluiu.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO