Adiada palestra “Memórias do primeiro Presidente da República”

0
9

A conferência agendada para esta noite subordinada a “Memórias do primeiro Presidente da República” foi adiada por falta de ligações aéreas com Lisboa, que impossibilitaram a vinda dos oradores convidados. 

De acordo com a organização, a conferência será agendada para data a definir e a anunciar oportunamente.

Recorde-se que esta é uma organização conjunta da  Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores em parceria com a Associação dos Antigos Alunos do Liceu da Horta que contará com a presença dos antigos Presidentes da Assembleia da República, Mota Amaral e Jaime Gama.

Esta Conferência não é um ato isolado de ritualização da passagem do centenário da publicação do relatório de Manuel de Arriaga “Na Primeira Presidência da República Portuguesa”, vem na sequência natural do movimento desenvolvido pela ALRAA e a AAALH, ao longo de 15 anos, no sentido de contribuírem para remover os esquecimentos que marcaram o percurso social e político deste ilustre faialense.
A obra em apreço não se limita apenas aos anos da Presidência de Manuel de Arriaga, penetra nas memórias passadas do autor proporcionando uma vasta compreensão do movimento republicano português, caraterizando uma época política de grande complexidade e, igualmente, a personalidade e o pensamento de Manuel d’Arriaga.
As motivações desta obra têm um cunho dramático como assinala o próprio Arriaga no “aviso prévio”. Já em avançada idade e saúde frágil, afirma o desejo de deixar esclarecidos os factos mais importantes da sua magistratura para evitar interpretações erradas e falsas críticas. Os autores do Estudo Introdutório à reedição – Joana Gaspar de Freitas e Luís Bigotte Chorão – consideram que este testemunho memorialista de Manuel de Arriaga constitui “este conjunto de memórias de Manuel de Arriaga”.
A projeção do significado desta obra, agora também numa dimensão de arco histórico da função presidencial, mereceu a atenção do Presidente da República ao conceder a este centenário o seu Alto Patrocínio.
 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO