Artur Lima desmascara a marginalização imposta à Aerogare das Lajes

0
9
DR

O Presidente do Grupo Parlamentar do CDS-PP Açores, Artur Lima, em conferência de imprensa ocorrida esta manhã em Angra do Heroísmo, afirmou que “para o CDS, a certificação civil da Base das Lajes sempre foi e é um instrumento estratégico vital para a economia da ilha Terceira e para o seu desenvolvimento”. É por isso que “o CDS defende uma verdadeira certificação civil que acabe definitivamente com os constrangimentos operacionais que se têm verificado”.

Artur Lima considera que “a Aerogare das Lajes, ao contrário do que se esperava com a certificação civil, está a perder importância no contexto das infraestruturas aeroportuárias da Região”, nomeadamente, “as escalas técnicas têm vindo a diminuir drasticamente e a divergir para outros aeroportos, alguns de fora da Região, afetando a economia da ilha e da Região”. No entender de Artur Lima, “a infundada e ignorante atitude de não abastecer as aeronaves com passageiros a bordo prejudica de forma gravosa a economia da ilha”.

A par disto, considera o Presidente do Grupo Parlamentar do CDS Açores que “os conflitos com as diversas entidades que operam e trabalham na Aerogare Civil das Lajes, com perseguições a funcionários e intromissão nas competências de cada um, é bem demonstrativo da prepotência e da arrogância da Diretora da Aerogare Civil das Lajes”. De acordo com informação prestada ao CDS Açores, “entre janeiro e outubro deste ano já foram emanadas mais de oitenta diretivas e contra diretivas”, o que, de acordo com Artur Lima, “revela um total desnorte e incompetência da Diretora da Aerogare Civil das Lajes”.

Para o CDS, outra situação absolutamente preocupante é a intenção da Diretora da Aerogare de alterar as condições de carreira dos técnicos de operações aeroportuárias, “numa desvalorização estatutária e salarial inaceitável, com imprevisíveis e gravosas consequências na futura captação de recursos humanos para a função”.
Importa aqui referir que “a Senhora Diretora da Aerogare nunca se preocupou em aumentar o número de Técnicos de Operações Aeroportuárias que, num quadro previsto de nove técnicos, apenas quatro estão no ativo, provocando diversos constrangimentos ao normal funcionamento do aeroporto”. Artur Lima apontou ainda “as graves dificuldades informáticas que provocam inqualificáveis atrasos na disponibilização de informação ao público, devido a um sistema arcaico que nem um servidor tem”.

É neste sentido que o Grupo Parlamentar do CDS Açores vai requer a audição, em sede da Comissão Parlamentar, da Senhora Diretora da Aerogare das Lajes e da Senhora Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas, de forma a que “possamos ter toda a informação sobre os atuais constrangimentos verificados naquela infraestrutura aeroportuária e quais as causas para a marginalização da Aerogare das Lajes no contexto aeroportuário regional”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO