“As eleições são neste momento a nossa última preocupação, a nossa prioridade são os Açorianos”, garante Francisco César

0
16

Francisco César defendeu que o processo de desconfinamento deve ser feito “de uma forma ponderada, passo a passo, de uma forma diferenciada consoante a realidade” e avisa que o Partido Socialista não vai entrar no “campeonato” dos que procuram protagonismo: “Nós partilhamos daquilo que disse o Senhor Presidente da República: as eleições são neste momento a nossa última preocupação, a nossa primeira prioridade são os Açorianos e as Açorianas, a nossa primeira prioridade é os Açores”.

O Presidente do Grupo Parlamentar do PS/Açores, que intervinha no debate parlamentar desta terça-feira, considera que o desconfinamento passa por “reabrir a economia da Região” e destacou que, para além das medidas que foram tomadas antes – “Nós lançamos apoios, e aprovamos também aqui apoios, ao nível do suporte do emprego, da manutenção do emprego, para que as pessoas não vissem a sua situação agravada apesar desta pandemia” – já há mais medidas a ser implementadas, “ainda ontem foi apresentada uma medida muito importante no sentido de garantir liquidez às empresas numa altura tão difícil”.

Francisco César insistiu na importância da cooperação que o Partido Socialista tem promovido entre todos: “Nós tivemos o cuidado de em diálogo com os partidos, todos os partidos, em diálogo com os parceiros sociais, ouvindo todos aqueles que quiseram dar o seu contributo (…) aprovar medidas de apoio ao rendimento, para que aqueles que ficaram sem trabalho, ou com o seu rendimento diminuído, tivessem a capacidade de ultrapassar esses tempos difíceis”.

“A nossa prioridade foi, é e será sempre o de salvaguardar, em primeiro, lugar a saúde dos Açorianos”, assegurou o líder da bancada socialista na Assembleia dos Açores, reconhecendo que algumas das medidas que tiveram de ser tomadas – “ao nível da restrição de liberdades, ao nível da restrição da nossa circulação” – obrigaram a ter que se “muitas vezes, ao limite dos nossos recursos” e “até ao limite das nossas competências para poder proteger a nossa Região”.

“Soubemos bem que isso motivou muitas reações, muitos grupos organizados que se juntaram no sentido de tentar quebrar as medidas que nós tomamos para proteger as nossas populações, mas tenham disto toda a certeza: Nós temos muito orgulho das medidas que tomamos para conseguir proteger as nossas populações (…) e apesar de tudo, apesar de termos tido, infelizmente algumas fatalidades, a verdade é que as medidas que tomamos, no sentido de evitar que o vírus pudesse se alastrar aos Açores tiveram, bons resultados permitindo que, inclusive, algumas ilhas não tivessem qualquer tipo de casos de covid-19”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO