As medidas de combate à pandemia devem ser claras, com critérios compreensíveis e acompanhadas de apoios às famílias e empresas, defende Sandra Dias Faria

0
7
DR
DR

“Ouvimos o Senhor Secretário Regional da Saúde, aquilo que quis partilhar connosco, porque, na verdade, não nos foi dado espaço para deixarmos o nosso contributo antes do anúncio formal das novas medidas que vão ser implementadas. Esperamos que medidas tomadas à pressa não sejam resultado da contestação, mas sejam, efetivamente, com base em critérios claros e que possam ser eficazes”, afirmou Sandra Dias Faria.

Após a reunião de meia hora realizada, esta quinta-feira, a pedido do Secretário Regional da Saúde e Desporto, a vice-presidente do GPPS/Açores, realçou que as medidas já anunciadas ontem, na RTP/Açores, “são tomadas com base em informação que o Grupo Parlamentar não dispõe” e que foram “decididas e anunciadas antes do diálogo com os partidos políticos e com a sociedade civil”.

“É importante dizer que, o anúncio destas medidas tem que ser capaz de evidenciar os critérios que estão subjacentes, ao desenho das mesmas, e que têm de se fazer acompanhar de apoios às famílias e às empresas que, no cenário presente, precisam deste apoio para minimizar todas as dificuldades criadas pelas opções do Governo”, acrescentou.

Ainda em resposta aos jornalistas, reconhece que a forte contestação que se regista em São Miguel, terá influenciado a decisão, mas apela ao “cumprimento das regras necessárias para a salvaguarda da saúde”, por parte dos cidadãos, e defende a necessidade de o retorno à normalidade, “se fazer de forma segura e constante, que permita, quer às famílias, quer às empresas, ter alguma estabilidade no seu dia a dia”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO