Auditório da Madalena com ciclo de cinema de Pasolini

0
9
blank
Para celebrar a vida e a obra de Pier Paolo Pasolini, nascido em 1922, a MiratecArts
apresenta o ciclo “O Cinema segundo Pier Paolo Pasolini”, as primeiras seis obras, em cópias restauradas, por ocasião do centenário de um dos maiores intelectuais do séc. XX. O Auditório da Madalena, de 11 a 15 de agosto, abre as portas a imagens de outros tempos com os filmes originais em italiano, legendados em português.
Comparado com as fantasias oníricas de Federico Fellini ou o tédio modernista de Michelangelo Antonioni, sua mistura esotérica de poesia e política, mito e história, paixão e ideologia, é mais difícil de definir, mas igualmente impossível de ignorar. Pasolini escolheu não resolver suas inseguranças, mas sim abraçar sua incongruência. “É um dos maiores intelectuais do século passado,” admite Terry Costa, o diretor artístico da MiratecArts. “Tive o prazer de estudar seu trabalho nos meus anos universitários, por isso sabe bem voltar a estas obras e ter a oportunidade de as apresentar para os nossos públicos, aqui na ilha do Pico, numa das melhores salas de cinema da região.”
Accattone, um olhar dolorosamente humano que se alonga pela tragédia, indigência e escassez, o filme que angariou prémio dos jornalistas italianos em 1962, abre o ciclo na quinta-feira, 11 de agosto, às 21h30. Na sexta-feira, é a vez de apresentar o retrato neo realista de martírio maternal, que marcou a transição na filmografia do subversivo Pasolini, Mamma Roma. Sábado à noite, em Comícios de Amor, Pasolini veste o uniforme de cineasta guerrilha, saindo à rua para se falar de sexo, enquanto domingo às 16h, o ciclo apresenta o drama bíblico, “O Evangelho segundo São Mateus”, filme que angariou multiplos prémios por todo o mundo e ainda três nomeaçoes para Óscars. Na segunda-feira, 15 de agosto é feriado nacional, apresentam-se dois filmes. Em matiné, às 16h30, a comédia e caprichosa fantasia fílmica sobre o cristianismo e o marxismo, ” Passarinhos e Passarões”, e às 20h30, a encerrar este ciclo, Rei Édipo, onde Pasolini reinventa a tragédia de Sófocles num dos mais poderosos mas subestimados filmes de cinema-poesia.
“A apresentação deste ciclo é uma oportunidade única, que poucas terras portuguesas estão a ter este ano, o centenário do grande Pasolini,” expressa Terry Costa. O verão da MiratecArts continua bem recheado com concertos aos domingos no Música no Forte, e a estreia de LAVADIAS, festival de cinema ao ar livre, no Jardim da Baleia, nos dias 3, 4 e 5 de agosto.  No passado fim de semana, a revista #33 da MiratecArts, e programa para o Festival Cordas, a acontecer em setembro pelo concelho da Madalena, na ilha montanha, também foi apresentada. Para mais informação visite www.miratecarts.com e siga a MiratecArts nas redes sociais.