Autarquia investe 400 mil euros na criação de rede de Parques Infantis

0
14
TI/SG

TI/SG

A Câmara Municipal da Horta apresentou na manhã de quarta feira, nos Paços do Concelho, um projeto que visa a criação de uma rede de Parques Infantis, num investimento total do Município que ronda os 400 mil euros.

Para além de dois equipamentos criados de raíz, os trabalhos incluem a intervenção e reabilitação dos equipamentos já existentes, nomeadamente ao nível de mobiliário urbano, colocação de pavimentos de segurança, execução ou beneficiação de acessos de forma a proporcionar à população infantil e juvenil, locais de lazer mais atrativos.

Na ocasião, José Leonardo Silva, Presidente da Câmara, explicou que a aposta inclui duas vertentes: uma que se prende com a inclusão e as acessibilidades a pessoas portadoras de deficiência e outra com a saúde e o bem estar, incluindo zonas de fitness.

“Nós temos 217 crianças, com necessidades especiais na Ilha do Faial”, por isso “era necessário dar esta resposta, de forma a termos parques infantis inclusivos em todo o concelho”, lembrou a este respeito o presidente.

Segundo o autarca este “é o maior investimento que houve até hoje numa rede de parques infantis no Faial”, que permitiu incluir também as empresas locais. “A autarquia teve o cuidado de repartir o investimento para que as empresas locais pudessem ter acesso”, nomeadamente no que se refere à parte da construção civil, salientou.

De acordo com o presidente do executivo camarário, o projeto vai arrancar já no próximo mês de fevereiro e prevê-se a sua conclusão nos meses de julho/agosto.

O autarca adiantou ainda que em relação à reabilitação dos parques existentes “todos os equipamentos que se encontrem em bom estado serão colocados ao serviço das crianças e jovens, nomeadamente em escolas e outros locais”, de forma, a que possam ser utilizados.

A finalizar José Leonardo Silva, realçou que este projeto, para além de “tornar o concelho mais inclusivo”, que vem de encontro a uma“área que o município tem dado também especial atenção que é a área social”, permite ainda “cumprir com o que está no Plano e Orçamento da Câmara” assim como com “a palavra dada aos faialenses no início deste mandato”, frisou o autarca.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO