BE acusa governo regional de deixar Faial em “esquecimento completo”

0
9

A parlamentar Lúcia Arruda, do Bloco de Esquerda, apontou o dedo ao Governo Regional dos Açores por  “votar o Faial o ao esquecimento completo” no que ao  investimento em obras públicas diz respeito.

Do lote de ações “que nunca saíram do papel” a deputada apontou a segunda fase da variante, as termas do Varadouro, o cais de cruzeiros e a ampliação da pista do aeroporto da Horta. “São obras que ao não serem concretizadas estão a condicionar o desenvolvimento do Faial”, entende.

Por outro lado, Lúcia Arruda lamenta que até agora a sede da nova empresa de transportes marítimos dos Açores, advinda da fusão da Transmaçor com a Atlanticoline, não esteja  já instalada, criticando o atraso no comprimento de mais um “compromisso” tido para com os faialenses.

Mais recordou que faz um ano e meio desde a aprovação da proposta do BE que recomendava ao Governo a fusão e a transferência para a Horta da sede administrativa daquelas empresas.

Além disso a deputada questionou se  “não havia ninguém qualificado para assumir estas funções nas ilhas do Triângulo”, sendo que foi nomeado um micaelense para gerir esta nova empresa.

A nível regional o partido defende um modelo de crescimento para os Açores que assente no “aproveitamento das riquezas do mar” na região.

“Num momento em que a União Europeia aponta a economia do mar como o futuro da Europa, faz todo o sentido criar um Centro Internacional das Ciências do Mar e Alterações Climáticas nos Açores”, defendeu Arruda.

Falta de crianças indicadas para refeições gratuitas causa estranheza

Ainda durante as declarações prestadas ontem a deputada bloquista mostrou preocupação com o número de pessoas apoiadas pela Cáritas, cerca de 1500 pessoas. Acresce-se ainda o facto de, perante estes números, não haver nenhuma criança faialense sinalizada para ter acesso a refeições gratuita durante o período de férias escolares.

“Não faz qualquer sentido. Há qualquer coisa que está a falhar”, declarou Lúcia Arruda.

A deputada terminou a 28 de maio a visita oficial à ilha.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO