BE propõe a criação de gabinetes de ação social nas Juntas de Freguesia

0
7
DR/BE

O candidato do Bloco de Esquerda à Câmara Municipal da Horta, Mário Moniz visitou o Bairro da Vista Alegre, e denunciou um caso de uma habitação degradada onde moram três inquilinos que “pagam rendas, entre 180 a 200 euros cada, a um hipotético senhorio que não lhes passa recibo”.

“Como se pode verificar, as condições são degradantes em termos humanos, e um caso de saúde pública, atendendo às condições de salubridade”, salientou Mário Moniz, relembrando ainda a necessidade urgente de se tratar do saneamento básico.
Segundo Mário Moniz “os principais interessados têm receio que as consequências duma denúncia formal possam recair sobre eles. Mas alguém tem de o fazer, e existem entidades com competência para tal”.
O candidato acrescentou que já foram informadas a Junta de Freguesia, a Câmara Municipal e a Ação Social, mas entende que “a Ação Social não tem atuado perante esta situação de ilegalidade. Moniz acusa ainda a Junta de Freguesia afirmando que esta “tem assistido impávida e serena, talvez porque não se sente responsável” e questiona mesmo “quem é a entidade mais próxima das pessoas?”
Para o Bloco de Esquerda é a Junta de Freguesia que tem a obrigação de, junto das instituições competentes, exigir a rápida resolução dos deste tipo de problemas. “A Junta de Freguesia não existe apenas para passar atestados de residência. Existe, principalmente, para lutar pelo bem-estar das pessoas da sua freguesia e “bater o pé”, junto de quem de direito, até que se resolvam os seus problemas” disse.
O candidato à presidência do Municipio pelo Bloco de Esquerda relembrou que, no seu programa, propõe a criação de gabinetes de ação social nas Juntas de Freguesia, com capacidade móvel, através de protocolos com a Câmara Municipal e em articulação com a Ação Social para que situações como esta, e outras, sejam resolvidas com maior celeridade. 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO