Berta Cabral diz “sim” a Mota Amaral para encabeçar a lista do PSD pelos Açores

0
14

Na continuidade da notícia avançada na edição impressa do Tribuna das Ilhas de hoje, Berta Cabral disse “sim” ao nome de Mota Amaral para encabeçar a lista do PSD pelo círculo dos Açores nas próximas eleições legislativas à Assembleia da República.

O anúncio foi feito na manhã de hoje pela líder do PSD/Açores, numa conferência de imprensa que decorreu na cidade da Horta, onde foi apresentada a lista completa dos candidatos do Partido Social Democrata pelos Açores à Assembleia da República.

Esta decisão foi tomada no decorrer da reunião da Comissão Política Regional do PSD/Açores, que decorreu na passada quinta-feira, também nesta cidade, que contou com a participação das Comissões Políticas de Ilha e das organizações autónomas da JSD e dos TSD.

Para Berta Cabral a escolha de João Bosco Mota Amaral, para encabeçar a lista do PSD Açores, vem no seu entender, “devolver credibilidade e seriedade à política nacional”, considerando mesmo ser o  “melhor contributo dado a Portugal” pelo PSD/Açores.

Em segundo lugar na lista surge o nome de Joaquim Ponte, de 54 anos de idade, farmacêutico.

Na opinião da líder social democrata, estes dois recandidatos “têm provas dadas” no que diz respeito à defesa dos interesses dos Açores e considera ser necessário “aproveitar a sua experiência, a sua influência, a sua disponibilidade”, tendo em conta a actual situação política e económica do país.

Da restante lista fazem ainda parte Lídia Bulcão, Jornalista, Cláudio Lopes, Engenheiro Agrónomo, Graça Rodrigues, Farmacêutica, Susana Ávila, Escriturária, Sérgio Ávila, Biólogo, Celina Cunha, Engenheira Civil, Ricardo Sousa, Técnico Aeronáutico e Francisca Toledo, Advogada.

Nas palavras da líder laranja, esta é uma lista que em que mais da metade dos nomes se candidatam pela primeira e “concilia a experiência e a renovação”.

Situação política do país

Na reunião da Comissão Política Regional do PSD/Açores, foi também analisada a actual situação política nacional no âmbito das eleições de 5 de Junho à AR.

Para Berta Cabral “o que está verdadeiramente em causa” nesta eleições é a escolha do novo Governo, por isso considera que a “novidade está do lado do PSD”.

No seu discurso a líder partidária social democrata afirma que “os portugueses são chamados a escolher entre dois projectos e dois estilos distintos liderados pelo Dr. Passos Coelho ou pelo Eng. José Sócrates”, em que o primeiro é de “mudança”, e o segundo é de “continuidade”.

Berta Cabral acusou o governo de Sócrates de ser o “primeiro responsável” pela crise económica que o país vive, acusando de andar a “enganar os portugueses com a ilusão de que as dificuldades dos outros não passariam por aqui”.

A finalizar a sua intervenção Berta Cabral, deixa um apelo aos portugueses para que não se “deixem enganar pelas encenações de um primeiro-ministro mentiroso” e apela o voto à candidatura de Pedro Passos Coelho, “uma candidatura de esperança, uma conduta de credibilidade, um projecto de confiança”, reforçando a ideia de “Portugal precisa de uma alternativa forte que só o PSD está em condições de assegurar”, e que os “votos da mudança, para serem úteis, devem se concentrados no único partido verdadeiramente capaz de liderar essa mudança” assegurou a líder partidária laranja. 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO