Bolieiro compromete-se a integrar nos quadros professores contratados sucessivamente

0
7
DR/PSD
DR/PSD

O candidato do PSD/Açores a Presidente do Governo afirmou hoje que é seu compromisso a integração nos quadros da Região das centenas de professores contratados sucessivamente, alegando que a contratação sucessiva cria “instabilidade profissional” a estes docentes.

“É preciso acabar com uma contratação sucessiva que não dá um vínculo laboral definitivo e motivador aos professores. É preciso acabar com esta contratação sucessiva geradora de instabilidade profissional e que limita a suficiência da docência”, disse José Manuel Bolieiro, em declarações aos jornalistas, após uma reunião com o Sindicato Democrático dos Professores dos Açores.

O líder social-democrata salientou que “faltam professores” na Região, dado que, no quadro atual, os Açores “são menos atrativos” em matéria de incentivos à fixação de docentes, em comparação com a Madeira ou o continente.

“Tenho-o dito noutras circunstâncias e reafirmo-o: prefiro uma governação que seja acusada de ter professores a mais, do que ter uma governação, como a atual, que tem sempre professores a menos”, sublinhou.

José Manuel Bolieiro referiu que se tem assistido nos Açores a uma “degradação do ensino” nos últimos anos, devido à falta de incentivos à fixação de professores e ao “excesso de burocracia” a que os docentes estão sujeitos.

“Os últimos 10 anos têm sido de degradação do ensino nos Açores. Assiste-se a uma degradação do sucesso educativo na Região, em contraciclo com o que se assiste a nível nacional e europeu. A verdade é que a Educação é uma responsabilidade do Governo Regional. Faz parte da Autonomia e aqui o Governo falhou. É preciso contrariar essa tendência”, frisou.

Segundo candidato social-democrata, os Açores necessitam “ter uma política autonómica para a Educação que seja exatamente o contrário da atual e que garanta incentivos à fixação dos professores”.

José Manuel Bolieiro acrescentou que o seu projeto político para a Educação assenta, entre outros aspetos, na “valorização da docência”, assegurando condições que ofereçam “estabilidade na profissão” de professor.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO