Bolieiro lembra que baixa de impostos e Tarifa Açores “não teriam acontecido” com o PS

0
26
DR

O presidente do PSD/Açores afirmou que a redução dos impostos e do preço das passagens aéreas inter-ilhas executada pelo atual Governo Regional “não aconteceria” com o Partido Socialista (PS), o que demonstra uma “diferença” entre a atual governação e a anterior.

“O PSD, o CDS-PP, o PPM, o Chega e a Iniciativa Liberal formaram uma maioria política parlamentar para que, com esta governação, houvesse uma diminuição da carga fiscal e os açorianos pagassem menos impostos. Mas isso não é apenas uma bandeira. É uma diferença. É que com o Partido Socialista isso não aconteceria. [Os socialistas] manifestaram-se contra esta medida”, disse José Manuel Bolieiro, na abertura das jornadas parlamentares do partido, que decorrem em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira.

O líder dos social-democratas açorianos recordou igualmente que a instituição de um preço máximo de 60 euros nas ligações aéreas inter-ilhas (‘Tarifa Açores’) foi fortemente contestada pelo Partido Socialista na campanha eleitoral.

“A ‘Tarifa Açores’, em debate eleitoral, foi criticada pelo PS, que disse ser mal estudada, que não teria aplicação e que não resolvia nenhum problema. Esta era visão do Partido Socialista, que não aceitaria um preço limite de 60 euros [nas ligações inter-ilhas] a pagar pelos açorianos”, frisou.

Segundo José Manuel Bolieiro, a redução do preço das passagens aéreas inter-ilhas feita pelo atual Governo Regional “nunca existiria com o Partido Socialista”.

“Com este Governo [a redução do preço das passagens aéreas] é uma realidade. Com um governo do Partido Socialista não existiria ‘Tarifa Açores’. Esta é mais uma diferença”, sublinhou.

O presidente do PSD/Açores e chefe do Governo Regional salientou que a redução dos impostos e do preço das passagens aéreas inter-ilhas são apenas alguns exemplos de que o atual Executivo “está a fazer coisas diferentes e disruptivas”.

“Estas medidas foram aplicadas no prazo com que nos comprometemos. Não houve atraso entre o prometido, com um cansaço de espera desesperante, e a aplicação. A diminuição dos impostos e as passagens inter-ilhas a 60 euros foram aplicadas no tempo certo”, referiu.

José Manuel Bolieiro destacou também que o atual Governo Regional está a levar a cabo um “combate progressivo à precariedade laboral”, através de “vínculos estáveis” para os funcionários da administração pública regional cujas tarefas correspondam a “necessidades efetivas e permanentes”.

“Definimos como prioritárias as áreas da Educação e da Saúde no combate à precariedade laboral. Nos governos que nos antecederam a precariedade era uma prevalência. Com este Governo estamos a eliminar, de forma progressiva, os vínculos precários, substituindo-os por vínculos de estabilidade laboral nas áreas com necessidades permanentes e efetivas”, afirmou.

Para o líder dos social-democratas açorianos, a estabilidade laboral “é fundamental para garantir felicidade aos profissionais e às suas famílias”.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO