Campeonato de Futebol dos Açores – Em tempos de mudança, impõe-se políticas desportivas de compromisso!

0
7

Com a extinção da III Divisão Nacional e o fim da Série Açores, apenas em estatuto e nome, arranca na próxima época o Campeonato de Futebol dos Açores, com cariz meramente regional, mantendo o figurino e o modelo competitivo da Série Açores, permitindo assim que o Campeão dos Açores suba directamente à II Divisão Nacional. Resta saber se este cariz regional trará consigo uma mudança de paradigma em todos os intervenientes no processo desportivo (futebol), sobretudo em quem dirige os destinos dos Clubes açorianos de forma generalizada e não só nos que irão integrar esta 1.ª edição do Campeonato de Futebol dos Açores. Pois, como ficou comprovado, no que diz respeito à Série Açores e ao objectivo que a mesma tinha subjacente “promoção do atleta açoriano”, constatou-se que o mesmo foi notoriamente e maioritariamente relegado para segundo plano, em função de políticas desportivas erradas que conduziram em muitos casos, vários Clubes na Região para o colapso financeiro. Passadas 18 épocas do arranque da Série Açores o efeito dessa “gestão danosa” ainda está bem presente, alguns Clubes tiveram mesmo que terminar com a modalidade, outros vão sobrevivendo em sufoco permanente. Desde já faço um repto a quem dirige as Instituições/Colectividades Desportivas na Região, que adoptem um dirigismo de compromisso, tendo por base uma gestão realista/rigorosa/apertada, em função da realidade sócio-económica que não pode de forma alguma ser descurada. As dificuldades são por demais evidentes e quem está envolvido no futebol não pode descurar de todo esta nova realidade, que impõe mudanças de hábitos e comportamentos. 

“Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças” – Charles Darwin.

Estabelecendo um paralelismo entre os participantes na 1.ª edição da Série Açores (1995/96) e os componentes da 1.ª edição do Campeonato de Futebol dos Açores (2013/14), constatamos que na 1.ª edição da Série Açores, a AFPD marcava presença massiva com seis Clubes: Santa Clara, União Micaelense, Operario, Miramar, Desp. de Vila Franca e Águia dos Arrifes. Por seu lado a AFAH estava representada por três Clubes: Lusitânia, Angrense e Boavista da Ribeirinha. Já a AFH apenas tinha um representante o Sporting da Horta. 

Já no que toca à 1.ª edição do Campeonato de Futebol dos Açores (2013/14) o cenário é bem diferente, desde logo a AFPD estará representada apenas por três Clubes: Rabo de Peixe, Santiago e Capelense. Por seu lado a AFAH, a mais representativa, terá cinco Clubes: Lusitânia, Angrense e Barreiro da ilha Terceira, Marítimo da Graciosa e Sp. de Guadalupe da ilha Graciosa. No que à AFH diz respeito, sobressai o facto da ilha do Faial não ter representante, sendo os dois representantes da ilha Montanha: Prainha e Lajense.

 

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO