Cartas de um Jovem Irrequieto: Os mesmos de sempre

0
48
blank
Miguel Duarte site

Faz parte da natureza do capitalismo ser cíclico, apesar de o querermos explicar e perceber apenas em números e fórmulas, o contexto não pode ser esquecido. Para cada crise, como a que vivemos nestes dias inflacionários, a resposta não precisa de ser sempre a mesma, as pessoas comuns não precisam de ser sempre o inimigo. Se já sabemos que isto se repetirá no futuro, porque não pensamos em soluções melhores? Não precisamos de políticos nem políticas que aceitam sempre a miséria como a única solução. Se nada acrescentam para a resposta, então deem espaço para alguém tentar.

Existe a teoria de que a solução para a inflação que vivemos hoje passa pela diminuição dos impostos para as grandes empresas. Esta solução milagrosa, sempre apresentada em momentos de crise, mais uma vez, é resultado do desconhecimento do contexto atual. A inflação não tem só uma causa, não é sempre culpa do estado gastador e irresponsável, e também não tem só uma solução. O aumento recente da inflação é fácil de perceber: os problemas na produção e distribuição na China, somando a guerra na Ucrânia, geram uma falta de oferta e não um excesso de procura. Conseguimos justificar este argumento se compararmos o investimento do PRR feito pela União Europeia, de 723 mil milhões, com o investimento feito pelos EUA, de 2,9 biliões, mais do dobro, sendo a consequência uma inflação com a diferença de apenas 0,5%. Não será a diminuição de impostos que motivará o investimento e, por essa via, a construção de campos de trigo e fábricas de chips num abrir e fechar de olhos.

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura