Casa da Autonomia. QUOTAS LEITEIRAS NA BERLINDA

0
21

Em meados de Abril, realizou-se na Casa da Autonomia na Horta um debate de urgência, a pedido do CDS, motivado pelo fim, atempadamente anunciado pela União Europeia, das quotas leiteiras que, sem dúvida, estiveram na berlinda.

E em representação dos democrata cristãos esteve na ribalta, e a abrir o aguerrido e interessante debate, Graça Amaral da Silveira, parlamentar centrista, eleita pelo circulo de compensação, por o eleitorado patrício se ter dado ao “luxo” de ignorar uma candidata com uma formação académica ligada ao sector agro alimentar de grande importância para as nossas ilhas, de Santa Maria ao Corvo.

De salientar também o facto de a oposição se ter alinhado a favor duma política que deveria unir todos os açorianos, sem prejuízo naturalmente de suas posições.

Não podemos, porém, deixar de registar, pelo menos, quatro passagens da oportuna intervenção da Professora do Pólo universitário de Angra do Heroísmo, cidade onde se encontra radicada:

– “O fim do regime das quotas leiteiras é a crónica duma morte anunciada que agora infelizmente chega ao fim”.

 

– “Durante anos, a Região adotou um modelo de desenvolvimento em que as explorações leiteiras, para se tornarem economicamente rentáveis, faziam-no à custa do aumento do volume de produção”.

– “A subsidiodependência por parte da lavoura açoriana não permitiu que os produtores de leite se preparassem devidamente, havendo um suposto subaproveitamento dos subsídios europeus que não tiveram reflexo prático na modernização do sector nos Açores”.

– “Se ordenhar vacas sem ser às escuras e ter água para lavar uma bilha de leite é aquilo que este governo socialista considera ser uma agricultura moderna e competitiva, preparada para enfrentar um mercado de leite liberalizado…. Infelizmente estamos então, de facto, conversados”.

Porém, o Dr. Vasco Cordeiro, ilustre Presidente do Governo Regional, não terá achado que a conversa terminara, pois avançou:

– “Eu sinto orgulho nos agricultores da minha Região porque estão cada vez mais bem preparados para ultrapassarem os desafios do futuro.”

E que o assunto “não se esgota agora, no mês de Abril, já que existe uma monitorização a longo prazo que obriga a uma atenção a esta matéria e a agir em conformidade”.

Se bem que mais ameno foi o programa – “Parlamento” da 3ª. feira, na RTP-A, moderado pelo faialense Roberto Morais, em que o pormenor de Graça Silveira estar ladeada por Duarte Moreira (PS) e Renato Cordeiro (PSD) é, por si só, evidente de um democrático ambiente que prestigia a Assembleia Legislativa, ou Casa da Autonomia, repetimos.

Naturalmente que os intervenientes- não deixaram de defender suas opiniões, embora por atalhos, mas com vista a encontrar o caminho mais seguro, aliás o mesmo sucedendo com os deputados comunista, bloquista e monárquico que não participaram  devido a um modelo que julgamos assaz positivo.

Concluindo:

Foi , na verdade, um feliz exemplo de que nem tudo vai mal nesta Autonomia que se diz, e com razão, estar a precisar de renovação.

Desta feita, a iniciativa foi do CDS, partido que apenas no Faial, Pico e Graciosa ainda não elegeu directamente um parlamentar e que tem em    São Jorge, Terceira e Corvo seus baluartes.

E que, desde o inicio do actual  regime autonómico, sempre tem sido a terceira força política da Região Açores.

(O autor não escreve ao abrigo do novo acordo ortográfico)

 

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO