CMH associa-se à Valormed para incentivar triagem de medicamentos

0
4

A Câmara Municipal da Horta e a empresa Valormed, entidade portuguesa licenciada para a gestão de resíduos e embalagens de medicamentos assinaram esta semana um protocolo que tem como objetivo minimizar o impacto dos resíduos e embalagens de medicamentos, quer na saúde pública, quer no ambiente.

O presidente da Câmara Municipal da Horta, José Leonardo Silva, explicou que esta parceria pretende sensibilizar os faialenses, através de mensagens visuais e escritas, de que as embalagens de medicamentos fora de prazo são um resíduo perigoso que deve ser triado e não depositado no lixo doméstico ou nos embalões.

Ainda integrado na IV Semana Regional dos Resíduos na ilha do Faial, a autarquia promoveu  dois cursos de compostagem doméstica, que visam ensinar como aproveitar os resíduos, dando-lhes nova utilidade, nomeadamente ao nível da agricultura biológica.

Por outro lado, constam das atividades a realizar, uma ação de sensibilização ambiental numa escola do primeiro ciclo, no âmbito do projeto “O Ambi vai à Escola” e uma ação dirigida a técnicos da Unidade de Saúde da Ilha do Faial.

Estas ações, salientou o edil, têm permitido consciencializar as pessoas para a necessidade de dar um destino adequado aos resíduos que produzem. Segundo José Leonardo Silva, a autarquia perspetiva que no final de 2013 se registe um novo aumento na recolha seletiva, contrariando a tendência nacional de queda.

Até ao final do mês de novembro, a autarquia já remeteu para valorização 168 toneladas de papel/ cartão, 143 toneladas de vidro e 30 toneladas de plástico. No caso dos medicamentos, foram exportados nos últimos dois anos 1,8 toneladas, “sinal de que estamos a trilhar um caminho positivo” mas “ainda temos margem para crescer”.

Luís Figueiredo, membro da Valormed afirmou durante a cerimónia que  “estamos a educar para o futuro” e, com este propósito, a parceria vai materializar-se, desde já, com a colocação e mensagens nos contentores de recolha de resíduos, a informar que os medicamentos devem ser entregues diretamente nas farmácias, e na distribuição de folhetos diretamente com a fatura de água.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO