Colorindo o preto e branco

0
42

A Bagatelle – Coleção e colorização de J. M. Medina Garcia

Construída nos primeiros anos do século XIX por John Bass Dabney, esta magnífica mansão foi, além de moradia, a sede do consulado dos Estados Unidos para os Açores, então sediado na Horta.
Propriedade dos Dabney – a que se juntaram posteriormente a Fredónia, a Cedars e as casas de veraneio no Monte da Guia e no Capelo – a Bagatelle passaria a outros proprietários quando em 1892 aquela família deixou definitivamente o Faial indo fixar-se nos Estados Unidos da América.
Esteve, portanto, na posse daquela família durante 80 anos. No século XX seria sede da Escola Normal Superior e depois moradia e consultório médico do Dr. Alberto Campos Goulart de Medeiros. Com a morte de sua irmã, D. Rosalina Medeiros, a casa ficou desabitada e, não obstante haver sido episodicamente palco de algumas filmagens como seja a série televisiva “Mau Tempo no Canal”, ela foi-se degradando, parecendo condenada a ruir completamente. Valeu que, já neste século XXI, a família de António Mota presidente da construtora Mota Engil interessando-se por aquelas ruínas as adquiriu e, após obras profundas, recuperou aquele magnífico imóvel devolvendo-o ao património edificado faialense.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO