Concurso para construção do Terminal de Passageiros de São Roque do Pico avança ainda este ano, anuncia Ana Cunha

0
15
DR

A Secretária Regional dos Transportes e Obras Públicas anunciou hoje que, ainda este ano, o Governo dos Açores vai lançar o concurso público para a construção do Terminal de Passageiros de São Roque do Pico, onde se inclui o reordenamento da zona envolvente, num investimento de cerca de quatro milhões de euros.

“Estamos, assim, perante um passo significativo de melhoramento das condições para servir o transporte marítimo de passageiros em São Roque do Pico, a que se seguirão as obras de ampliação do porto comercial, atualmente em fase de projeto de execução, e que será submetido a testes em modelo físico reduzido, considerando também a grande complexidade técnica que esta obra impõe”, salientou Ana Cunha, que falava na apresentação da solução técnica do novo Terminal de Passageiros e de reordenamento da zona envolvente, no âmbito da visita estatutária do Governo ao Pico

Para a Secretária Regional, “este é mais um passo concreto neste processo, que tem sido marcado pela ponderação, pela análise serena e cuidada das soluções possíveis, mas também pelo diálogo com as várias entidades representativas deste concelho e desta ilha, desde logo porque estão em causa significativos recursos públicos: estimamos que represente um investimento global de cerca de 30 milhões de euros, incluindo a ampliação do porto comercial”.

Este montante de investimento “obriga, naturalmente, à obtenção de todas as garantias técnicas de que esta obra servirá, em toda a sua plenitude, os objetivos para os quais foi pensada e será executada e foi exatamente isto que esteve em causa ao longo deste tempo: a necessidade de assegurar que a localização escolhida serve os intentos deste investimento, o que é o mesmo que dizer que servirá o melhor possível a população deste concelho, desta ilha e a economia do Pico”, disse Ana Cunha.

“Esta é, naturalmente, a nossa obrigação, enquanto gestores de recursos financeiros públicos, seja neste investimento que aqui vamos concretizar, seja em qualquer obra pública que se concretize em toda a Região”, acrescentou.

A Secretária Regional adiantou que, com este investimento, “ficarão criadas as condições para permitir a operação simultânea do transporte regular de passageiros e comercial de carga, eliminando-se assim um constrangimento atual neste porto”.

A titular das pastas dos Transportes e das Obras Públicas revelou que, na prática, “se somarmos aos 30 milhões de euros aqui previstos, os cerca de cinco milhões investidos na recuperação dos estragos do Porto da Madalena e os nove milhões da construção do Terminal de Passageiros ‘João Quaresma’, a verdade é que, apenas ao nível das infraestruturas marítimas, a ilha do Pico está a receber investimentos superiores a 44 milhões de euros”.

Trata-se, assim, de “um investimento sem precedentes nas últimas décadas, que está a transformar, à semelhança do que está a acontecer por toda a Região, a face do transporte marítimo de passageiros na ilha do Pico, através da criação de condições de conforto, operacionalidade e segurança, sem descurar o impacto económico substancial que resulta para a economia desta ilha”, disse.

Para Ana Cunha, “este esforço de investimento nas infraestruturas portuárias serve uma estratégia regional de transportes marítimos, na qual se incluem os navios que, ao longo de todo o ano, operam no Grupo Central do arquipélago”.

A Secretária Regional revelou ainda que “o novo navio da Atlânticoline, ‘Mestre Jaime Feijó’, está neste momento a executar e a realizar provas de mar, ainda hoje, a que se seguirá a necessária certificação, sendo essas provas positivas”.

Após esta fase, o navio poderá entrar na sua operação e em funcionamento.

“Trata-se de um navio com a capacidade para transportar 333 passageiros, 15 viaturas, duas das quais com peso bruto até 5,5 toneladas”, frisou Ana Cunha, denotando que “o processo decorreu de forma muito célere desde que foi tomada a decisão da substituição do ‘Mestre Simão’”.

“Naturalmente que todos estes investimentos nos transportes marítimos da ilha do Pico obedecem a uma estratégia regional de promover a mobilidade dos Açorianos, enquanto fator de coesão territorial, mas também de reforço do desenvolvimento económico de todas as ilhas”, afirmou a Secretária Regional, salientando que “é por isso que não se deve confundir a árvore com a floresta”.

“O mesmo é dizer que não se deve alegar, por exemplo, uma determinada avaria num navio, como argumento para falar em falhanço do transporte marítimo de passageiros na nossa Região. Não se deve porque, na verdade, são os próprios números que rejeitam este argumento populista”, frisou.

Para a Secretária Regional, “basta referir que o número de passageiros transportados nos Açores, somando a operação sazonal e a operação do Grupo Central, cresceu 15 por cento no espaço de uma década”.

Ana Cunha sublinhou ainda que a solução para o Terminal de Passageiros de São Roque do Pico, hoje apresentada, “não deixa dúvidas sobre a decisão política de avançar com este investimento”.

Com esta solução é dada “expressão prática a este nosso compromisso para com a população deste concelho e para com a população desta ilha. Um compromisso que assenta na importância deste tipo de investimento, nos transportes e na mobilidade dos Açorianos e de quem nos visita, para a geração de riqueza nas nossas ilhas e, por esta via, para a criação de mais e melhor emprego”, afirmou a Secretária Regional.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO