COVID-19 aumenta no Faial

0
68
DR
DR

Em dezembro, com a aproximação do Natal e Ano Novo, estavam a ser diagnosticados maiores números de casos positivos, resultantes de uma maior preocupação em testar. No comunicado do dia da véspera de Natal tinham sido diagnosticados 61 novos casos em 1.181 análises realizadas. No dia 25, surgiram 130 novos casos positivos, entre 2.197 testes. Nos dias 26 e 27, os testes abrandaram, mas os casos positivos mantiveram-se altos: 540 testes resultaram em 71 casos positivos (dia 26), e 431 resultaram em 66 casos positivos (dia 27). No dia 28, o número de testes começou a aumentar novamente, assim como o número de casos positivos: 189 casos para 1.355 testes realizados. A 31 de dezembro e 1 de janeiro, dias em que as análises dispararam, em mais de 5.000 testes realizados foram diagnosticados 390, e 392 casos positivos, respetivamente.

Após a época das festas, os números de casos positivos e de testes realizados permanecem altos. No dia 5 de janeiro, à hora do fecho da edição, a Autoridade Regional de Saúde tinha lançado um comunicado que dava conta de 523 novos casos positivos resultantes de 3.521 análises: 234 casos na Terceira, 231 em São Miguel, 33 no Faial, 16 nas Flores, seis no Pico e três na Graciosa.

Atualmente, o Faial, que se tornou a ilha com maior índice de transmissibilidade, tem 110 casos positivos ativos.

Hospital da Horta nega atraso de resultados de análises e falta de reagentes de testagem

À redação chegou a informação de que estavam a surgir queixas de atrasos no conhecimento dos resultados de análises da COVID-19 na urgência do Hospital da Horta, bem como uma suposta falta de reagentes para os testes. O Tribuna das Ilhas foi saber, junto do Hospital da Horta, se tais queixas tinham fundamento. Em resposta, o Hospital disse não ter conhecimento de tais situações e de que tem sido dada resposta às necessidades.