CRISTINA CALISTO DESTACOU A IMPORTÂNCIA DA IGUALDADE DE GÉNERO NAS POLÍTICAS LOCAIS

0
15

A Câmara Municipal de Lagoa promoveu, nos dias 12 e 13 de junho, o III Encontro Regional de Boas Práticas sobre a Importância da Igualdade de Gênero nas Políticas Locais, no Cine Teatro Lagoense Francisco D´Amaral Almeida, na cidade de Lagoa. A cerimónia de abertura do evento foi presidida pela Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro, com a presença da Secretária Regional da Solidariedade Social, Andreia Cardoso da Costa, e da Presidente da Câmara Municipal de Lagoa, Cristina Calisto.

O município de Lagoa foi anfitrião deste evento, na medida em que é pioneiro, ao nível da ilha de São Miguel, na implementação do Plano Municipal para a Igualdade de Género e Cidadania, em vigor desde 2016, tendo sido candidato ao prémio nacional “Viver em Igualdade”, em 2018.

De acordo com Cristina Calisto, este encontro tratou-se de “uma oportunidade de excelência para repensar, aprofundar e consolidar o papel do poder local, enquanto agente dinamizador para a igualdade”. “Unir os homens e as mulheres no combate às desigualdades e à discriminação, promover a transversalidade do género, eliminar estereótipos no processo de desenvolvimento local e valorizar os Direitos Humanos são alguns dos compromissos cívicos que todos devemos ter na nossa linha de atuação”, salientou.

Na ocasião, a Presidente da Câmara Municipal de Lagoa defendeu que “todas as pessoas, independentemente do género, cultura ou etnia devem ter as mesmas oportunidades e tratamento, seja no âmbito político, económico, social, cultural, na família ou no trabalho. Trabalhar neste sentido é um verdadeiro imperativo para todos os autarcas e decisores políticos”.

Na sequência deste encontro, foi assinado o Protocolo entre os Municípios Açorianos e a Comissão para a Cidadania e a Igualdade Género (CIG), que tem como objetivo desenvolver um trabalho cooperativo, com vista a alcançar uma sociedade mais inclusiva e igualitária.

De acordo com Cristina Calisto, “a Administração Pública Local assume um papel essencial no combate à eliminação dessas desigualdades e discriminações, pela sua relação de proximidade com a população. Adotar uma política direcionada para a igualdade de género, promovendo planos municipais que visem medidas de intervenção locais, sensibilizar todos os intervenientes para a necessidade de mudança do paradigma das desigualdades e desenvolver projetos inclusivos e inovadores, são medidas necessárias para incentivar uma cidadania ativa e uma participação cívica e social equilibrada”.

Refira-se que, durante os dois dias do encontro regional, o programa teve a participação de vários oradores, que abordaram temáticas relacionadas com a importância da igualdade de género nas políticas locais.

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO