Debate público sobre Restruturação do Serviço Regional de Saúde – Respostas de Luís Cabral não convencem médicos do Faial

0
10

A reestruturação do Serviço Regional de Saúde (SRS), baseado numa estrutura desenhada há 30 anos, apresentava-se como um dos compromissos assumidos pelo atual Governo Regional (GR) na última campanha eleitoral. Neste sentido, o Executivo apresentou em maio uma proposta de reestruturação que afirma ser um documento aberto à discussão, com o objetivo de debater e recolher contributos para a execução de um documento final com propostas que melhorem o SRS.

Este assunto tem sido alvo de várias críticas não só por parte dos partidos da oposição nos Açores, mas também por parte de outras entidades, como algumas autarquias, e da população. Neste contexto e com vista a esclarecer a população, o Secretariado da Ilha do Faial do PS convidou o secretário regional da Saúde para um debate público de esclarecimento sobre o tema, que decorreu na noite de ontem, no auditório do Teatro Faialense.

A classe médica representava a maioria dos presentes, que colocaram várias questões técnicas sobre a aplicabilidade da proposta na Região, a que Luís Cabral respondeu sempre de forma evasiva e pouco esclarecedora, não convencendo os médicos presentes.

Os clínicos faialenses chamaram a atenção para a falta de médicos no Hospital da Horta, para a necessidade de melhor o acompanhamento dos doentes nas evacuações e para a necessidade de uma melhor resposta por parte dos hospitais que acolhem esses doentes, bem como para a inexistência de um serviço de Cuidados Intensivos neonatais na Região.

Os médicos consideram que um dos pontos importantes da reestruturação do SRS passa por uma atualização do sistema informático, até como forma de melhor implementar o serviço de telemedicina, uma das propostas apresentadas pelo Governo neste documento.

Luís Cabral explicou que este documento não pretendia ser o modelo a seguir pelo Governo mas sim o motor de uma discussão que se pretende alargada a toda a sociedade, de forma a que a versão final seja fruto do maior consenso.

O governante entende que, para que esta reestruturação resulte, é fundamental que haja consenso com vista à sustentabilidade do SRS de forma a que se continue a prestar cuidados de qualidade aos quais seja garantida a acessibilidade de todos os açorianos independentemente da ilha em que vivam.

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO