Diagnosticados 554 novos casos positivos de covid-19 em 2.575 análises realizadas

0
32
DR
DR

Nas últimas 24 horas foram diagnosticados 554 novos casos positivos de covid-19, sendo 259 em São Miguel, 163 na Terceira, 40 no Pico, 35 no Faial, 25 em São Jorge, 13 nas Flores, 12 na Graciosa, quatro no Corvo e três em Santa Maria, resultantes de 2.575 análises.

Por concelhos:  

São Miguel – 162 em Ponta Delgada, 46 na Ribeira Grande, 35 na Lagoa, 11 em Vila Franca do Campo, três na Povoação e dois no Nordeste.

Terceira – 85 em Angra do Heroísmo e 72 na Praia da Vitória.

Pico – 18 na Madalena, 15 nas Lajes e sete em São Roque.

Faial – 35 na Horta.

São Jorge – 19 nas Velas e seis na Calheta.

Flores – sete nas Lajes e seis em Santa Cruz.

Graciosa – 12 em Santa Cruz

Corvo – quatro novos casos positivos.

Santa Maria – três em Vila do Porto.

Recuperações: 

Nas últimas 24 horas foram registadas 496 recuperações.

Óbitos: 

Registados dois óbitos no Hospital do Divino Espírito Santo, em São Miguel, nas últimas 24 horas: uma mulher, de 83 anos de idade, residente nos Arrifes, em Ponta Delgada, e um homem com 70 anos de idade, residente na Ribeira Seca, concelho da Ribeira Grande. Ambos eram vacinados com dose de reforço e sofriam de múltiplas comorbilidades.

Internamentos: 

À data de hoje estão internadas 24 pessoas, sendo 13 no Hospital do Divino Espírito Santo, em São Miguel (uma em cuidados intensivos), seis no Hospital da Horta, no Faial e cinco no Hospital de Santo Espírito da Terceira.

Situação atual:

Os Açores registam presentemente 3.998 casos positivos ativos, sendo 2.518 em São Miguel, 660 na Terceira, 274 no Pico, 222 no Faial, 126 na Graciosa, 110 em São Jorge, 58 nas Flores, 15 no Corvo e 15 em Santa Maria.

Vacinação:    

Desde 31 de dezembro de 2020 e até 2 de março corrente, 210.693 pessoas tinham nos Açores a vacinação primária completa (89,1%) da população e 117.415 tinham já recebido a dose de reforço (49,7%).

A vacinação pediátrica registava nesta data, 6.608 inoculações referentes à 1.ª dose, o que corresponde a 38,8% de um universo de 17.033 crianças entre os cinco e os 11 anos.