Do amor e do erotismo

0
20
TI
TI

“Julieta vive hoje num 25ª andar… Já não há Romeu”…
Leo Ferré

Vivemos numa época em que, manifestamente, o amor não está na moda. E isto porque ele tende a desvanecer-se na vertigem do nosso quotidiano, dominados que estamos pelo social, pelo político, pelo económico e pelo pragmático.
O amor está cada vez mais banalizado e estereotipado pelos media. Vamos perdendo, a pouco e pouco, o sentido do sonho e da utopia e o resultado salta à vista: assiste-se hoje à indiferença, ao amesquinhamento e à repressão que os diversos poderes vão, propositadamente, lançando sobre tudo o que seja afecto, amor, sentimento, paixão…
Por outro lado, as linguagens teóricas depreciam o sentimento amoroso. E, como se isto não bastasse, o sujeito apaixonado é desprezado e assimilado a um lunático…

Este conteúdo é Exclusivo para Assinantes

Por favor Entre para Desbloquear os conteúdos Premium ou Faça a Sua Assinatura

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO