É o que temos!

0
9

O Secretário Regional do Turismo e Transportes reuniu na passada semana, aqui na Horta, com o Presidente da Câmara Municipal, Câmara de Comércio da Horta e com vários empresários locais. Esteve em cima da mesa a questão das ligações aéreas da Horta com Lisboa e a redução do número de ligações que este Verão a Horta terá por força dos novos horários a praticar pela SATA.

À saída da reunião, aquele governante disse: “este ano, a ‘gateway’ da Horta, através da SATA, disponibiliza mais 25 mil lugares do que no ano passado, sendo que, deste total, 2.500 são disponibilizados em julho e agosto, que são normalmente as épocas em que há maiores constrangimentos e maior fluxo de passageiros”. (Esta citação é retirada da notícia do Gabinete de Apoio à Comunicação Social do Governo Regional, para não ser acusado de distorcer as afirmações feitas…).

Não estive presente na reunião. Não falei com ninguém que lá tenha estado. Limito-me, por isso, a tirar as conclusões que um cidadão normal, usando a informação que é pública, pode tirar.

E a conclusão que tiro é a seguinte: os Faialenses, ao defenderem através de todos os seus representantes (deputados, Câmara Municipal, Conselho de Ilha, Empresários e respetivas associações) que pretendem, pelo menos, o mesmo número de ligações diretas a Lisboa que tinham no ano passado, não têm razão. E, no dizer do Governo Regional, não têm razão porque a SATA disponibiliza mais 25 mil lugares do que aqueles que havia no ano anterior. 

Vamos, por isso, às contas para podermos fazer as comparações e verificarmos se é mesmo assim!

Em 2014, de abril a outubro (que é o que pode ser comparado, neste momento) a TAP e a SATA, em conjunto, realizaram, de horário, 280 voos entre Lisboa-Horta-Lisboa. Para essas ligações eram usados dois tipos de avião: o A-319 (lotação máxima: 132 lugares) e o A-320 (lotação máxima: 162 lugares na TAP e 165 na SATA), o que significa que, por voo Lisboa-Horta-Lisboa, o A-319 disponibiliza 264 lugares e o A-320 330 lugares. 

Ora, tomemos para termo de comparação o A-319, o avião de menor lotação, e assuma-se que os voos em 2014 foram todos feitos com ele. 280 voos a multiplicar por 264 lugares, teremos, 73.920 lugares disponíveis. É este o número indicativo, por defeito, dos lugares disponibilizados em 2014 nas ligações entre Lisboa-Horta-Lisboa, entre abril e outubro.

Façamos, agora, as contas ao que a SATA oferece para este ano de 2015. 

De acordo com os horários divulgados, teremos, de abril a outubro, 218 voos. Como a SATA opera apenas com o avião A-320, teremos, contas feitas, 218 voos a multiplicar por 330 lugares, igual a 71.940 lugares disponibilizados.

 

Conclusão: a SATA oferece para 2015, menos 1.980 lugares do que aqueles que tínhamos no ano passado, número que só peca por defeito, pois a comparação com os voos de 2014 foi feita, como expliquei, com a lotação do A-319 e muitas vezes era o A-320 que fazia a ligação! 

Façamos agora outra comparação: a dos meses de julho e agosto, a chamada época alta do nosso turismo. Em 2014, a TAP e SATA ofereciam 124 voos, o que dava uma oferta de 32.736 lugares. Em 2015, a SATA oferece 88 voos, o que significa uma oferta de 29.040 lugares.

 

Conclusão: a SATA oferece em julho e agosto para a Horta menos 3.696 lugares do que aqueles que havia em 2014, número que só peca por defeito.

Face a estes números, questiono-me como pode um responsável político, numa reunião com empresários do ramo e que conhecem a realidade como mais ninguém, dizer e repetir tamanha enormidade e não ser confrontado com a falsidade dos números?

A mentira e a mistificação, na política como na vida, têm sempre perna curta e depressa se descobrem. 

Vir ao Faial dizer ao Presidente da Câmara, ao Presidente da Câmara de Comércio e aos empresários que estiveram presentes na dita reunião que a “SATA, disponibiliza mais 25 mil lugares do que no ano passado” é uma mistificação inqualificável, um logro de números, um abuso da credulidade e da boa-fé dos presentes!

E como só permanece enganado quem quer, aguardo, curioso, o que têm aqueles responsáveis para dizer aos Faialenses sobre esta matéria!

Até lá, só posso lamentar e indignar-me com isto que temos e que foi escolhido também pela maioria dos Faialenses!

 

O MEU COMENTÁRIO SOBRE ESTE ARTIGO